Diário Logo

O Diário Logo

Governo estuda a privatizar as linhas de trem 11 e 12 que ligam SP a Mogi

O governador Tarcísio de Freitas detalhou os estudos para a privatização de setores como abastecimento de água (Sabesp) e transportes na terça-feira (28). Entre os itens de interesse para a concessão estão as linhas 11 e 12, Coral e Safira, que atendem milhares de moradores da região de Mogi das Cruzes e do Alto Tietê. […]

1 de março de 2023

Reportagem de: O Diário

O governador Tarcísio de Freitas detalhou os estudos para a privatização de setores como abastecimento de água (Sabesp) e transportes na terça-feira (28). Entre os itens de interesse para a concessão estão as linhas 11 e 12, Coral e Safira, que atendem milhares de moradores da região de Mogi das Cruzes e do Alto Tietê.

Ao todo, são 15 projetos na mira para a privatização – algo, no entanto, que segundo Freitas, acontecerá se houver vantagem financeira e social.

Na aba do transporte estão serviços ligados à mobilidade intermunicipal rodoviária, com estimativa de R$ 1 bilhão em investimentos, e ferroviária.

No que diz respeito à concessão de linhas de trens, já prevista em edital lançado pelo governo passado, em 2018, estão incluídas as linhas 10, 11, 12, 13 e 14 da CPTM, o TIC (Transporte Inter-Cidades) Sorocaba e das linhas atualmente operadas e em estudo para implantação e/ou expansão pelo Metrô.

Apenas neste setor, segundo divulga o governo do Estado, estão estimados investimentos de R$ 69 bilhões.

O governo estadual informou que está sendo “reconfigurada a modelagem do projeto de concessão dos serviços – incluída a revisão do Plano Diretor de Transporte”.

É antiga a espera por melhorias nas linhas 11 e 12 que possuem desafios como a substituição das antigas estações em Mogi das Cruzes, e a conclusão de projetos, como o traçado final que ficou pendente na Estação Suzano.

A linha 11 Coral é uma das que registra o maior índice de passageiros atendidos pela CPTM.

No ano passado, a promessa era de se iniciar obras da nova passarela e da estação Mogi no início deste 2023 – o que ainda não se concretizou (relembre reportagem).

A implantação do TIC Eixo Norte prevê estudos para a construção de linhas de trens que vão ligar São Paulo, Jundiaí e Campinas, além de Francisco Morato. Parte do projeto integrará a Linha 7-Rubi da CPTM, até Francisco Morato. O projeto está orçado em R$ 12,7 bilhões.

Trens

A concessão das linhas 11 e 12 impacta diretamente aos moradores do Alto Tietê – eles cumprem as rotas entre São Paulo as estações Luz e Esturantes, e entre o Brás e Camom Viana.

Em 2022, em um balanço divulgado pela CPTM, a linha Coral 11 aparece como a que mais transportou passageiros, atendendo 129 milhões; já a linha 12, o número total do ano passado foi de 62 milhões.

Sabesp

Estudos vão apontar a viabilidade da desestatização da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae).

As medidas foram anuncidas por Tarcísio de Freitas após a 15ª Reunião Conjunta Ordinária do Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público-Privadas (CGPPP) e do Conselho Diretor do Programa de Desestatização (CDPED), que é presidido pelo vice-governador Felicio Ramuth.

A Sabesp é uma sociedade anônima de capital aberto controlada pelo Estado de São Paulo, que é detentor de 50,3% do capital social da empresa. Ela atende mais de 27 milhões de pessoas no Estado de São Paulo (cerca de 70% da população urbana) em 375 municípios (58% do total de cidades paulistas).

“Esperamos ter grandes investimentos, que vão permitir que o prazo para o cumprimento das metas de universalização dos serviços de água e esgoto, que são para 2033, sejam comprimidos. Também teremos um bônus de assinatura elevado, que vai ajudar a melhorar o atendimento. Além disso, também esperamos a redução de tarifas. Estou absolutamente convicto de que podemos ter um resultado muito bom. Nós não vamos fazer privatização para aumentar a conta do cidadão. Vamos fazer os estudos para termos a absoluta certeza de que vamos gerar muito investimento, que a água vai chegar onde não chega e que a tarifa vai cair. E, se tivermos essa certeza, vamos seguir em frente. Se chegarmos à conclusão do contrário, vamos dar o passo para trás. O que queremos é melhorar”, destacou.

 

Veja Também