Diário Logo

O Diário Logo

Preso último acusado de envolvimento no desaparecimento de Nataly Lily

Na noite desta quinta-feira (30), a Polícia Civil de Mogi das Cruzes prendeu Caio Cleiton Rodrigues Silva, conhecido como “branquinho”, mais um acusado de estar envolvido no desaparecimento da transexual Nataly Lily. Na quarta-feira (29), outros dois acusados também foram presos pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP). O crime aconteceu em 2020, […]

31 de março de 2023

Reportagem de: O Diário

Na noite desta quinta-feira (30), a Polícia Civil de Mogi das Cruzes prendeu Caio Cleiton Rodrigues Silva, conhecido como “branquinho”, mais um acusado de estar envolvido no desaparecimento da transexual Nataly Lily. Na quarta-feira (29), outros dois acusados também foram presos pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP).

O crime aconteceu em 2020, quando Nataly desapareceu em Mogi no dia 12 de dezembro. Ela, junto a uma amiga, teria ido fazer um programa com um casal. O casal em questão teria as levado para um sítio, próximo à Avenida das Orquídeas, onde as duas foram baleadas e caíram no chão. A amiga conseguiu fugir e buscar por ajuda, mas Nataly nunca mais foi encontrada.

O casal era formado por Danilo Nascimento Batista, conhecido como Cocão e o primeiro a ser preso pelo crime, e por Vanessa, que foi presa na quarta-feira. No sítio estariam ainda Carlos Renato Rodrigues Silva, conhecido como “Gó” e também preso na quarta, e Branquinho, o último detido pela Polícia Civil.

Todos eles tiveram a prisão temporária decretada em 2021, mas estavam foragidos e chegaram e morar em estados como Pernambuco, Santa Catarina e Rio de Janeiro. Eles deverão responder pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio qualificado, e sequestro consumado.

O caso

As investigações da Polícia Civil chegaram à conclusão de que tudo começou com um problema entre Nataly e o irmão de Vanessa Silva, uma das acusadas. Nataly era garota de programa e teria atendido o irmão de Vanessa, que é surdo. O homem não teria efetuado o pagamento e, por isso, Nataly o agrediu. Ao saber do ocorrido, Vanessa começou a arquitetar o plano para o crime.

Acompanhada por Danilo, Vanessa teria ido até o ponto em que Nataly atuava, fingindo buscar por um programa para o casal. Com eles e mais uma amiga – também transexual – a vítima entrou no carro e foi para um “sítio”, onde achou que realizaria o programa. Entretanto, Caio Cleiton e Carlos Renato estavam no local, estando um deles com uma arma.

A amiga de Nataly foi baleada e caiu desacordada no chão e, na sequência, Nataly também recebeu os disparos. Quando a amiga retomou a consciência, foi embora em busca de ajuda, mas Nataly já não estava por lá. A suspeita é de que ela tenha sido assassinada e que o corpo tenha sido levado para ser enterrado em outro local.

O sítio ficava nas proximidades da Avenida das Orquídeas e amiga conseguiu, então, pedir ajuda e foi atendida no Hospital Luzia de Pinho Melo, após ser atingida por tiros no pescoço e no braço. Mais de dois anos do crime se passaram e Nataly nunca foi encontrada.

Veja Também