Diário Logo

O Diário Logo

Versão 1.3 Drive é o ponto de equilíbrio do Fiat Argo

Uma das versões mais procuradas do Fiat Argo é a intermediária 1.3 Drive. Como uma espécie de “ponto de equilíbrio” da linha, é mais forte e bem equipada do que a Drive 1.0 e também mais barata e econômica em comparação à Precision 1.8. O design do Argo, desenvolvido no Brasil, é um dos pontos […]

27 de janeiro de 2020

Reportagem de: O Diário

Uma das versões mais procuradas do Fiat Argo é a intermediária 1.3 Drive. Como uma espécie de “ponto de equilíbrio” da linha, é mais forte e bem equipada do que a Drive 1.0 e também mais barata e econômica em comparação à Precision 1.8. O design do Argo, desenvolvido no Brasil, é um dos pontos altos do hatch. Por dentro, o destaque é a tela de sete polegadas com aspecto “flutuante”. As saídas de ar redondas reforçam o aspecto jovial. O motor flex Firefly 1.3 de quatro cilindros entrega 109/101 cavalos e torque máximo de 14,2/13,7 kgfm a 3.500 rpm. É um dos mais econômicos de seu segmento, com classificação A na categoria e B na comparação absoluta segundo o Inmetro. A opção de colocar o sistema “start-stop” no modelo manual certamente contribui para esses bons resultados. O preço sugerido para o Fiat Argo 1.3 Drive manual varia de R$ 54.590 a R$ 56.890, dependendo da cor.Entre os itens de série do Argo Drive 1.3 manual estão piloto automático, coluna de direção com regulagem de altura, segunda porta USB para o banco de trás, Isofix, ar-condicionado analógico, banco do motorista com regulagem de altura, central multimídia de sete polegadas, chave canivete, direção elétrica, volante multifuncional, repetidores de setas nos retrovisores, sistemas de monitoramento de pressão dos pneus e “start-stop” no motor.Opcionalmente, podem ser acrescentados retrovisores elétricos com repetidores de seta, vidros elétricos traseiros, faróis de neblina, rodas de 15 polegadas, sensor de estacionamento traseiro e câmera de ré, mas não estão disponíveis os controles de tração e de estabilidade, que são de série no 1.3 GSR (com câmbio automatizado). Estão disponíveis oito diferentes pacotes de opcionais para essa versão, com preços de R$ 910 a R$ 2.990. Com todos os opcionais, o que inclui multimídia com tela de nove polegadas, rodas de liga-leve aro 15, faróis de neblina e teto de outra cor, o hatch pode beirar os R$ 63 mil. A posição de dirigir é razoável e o espaço interno sempre foi um ponto alto do modelo. Os comandos são bem localizados e de fácil manuseio. O volante multifuncional traz botões para informações de computador de bordo e som. O painel de instrumentos oferece fácil visualização e uma tela de 3,5 polegadas, posicionada entre os mostradores analógicos e exibe as informações do computador de bordo.Em termos de acabamento, o Argo parece ter evoluído em relação ao carro apresentado em 2017. Apesar das superfícies rígidas serem dominantes, ostenta um padrão elevado em relação aos concorrentes, com texturas que reforçam o aspecto de qualidade. O porta-malas leva 300 litros, dentro da média do segmento de hatches compactos. Faz falta um botão no painel para abrir o porta-malas. Porta-objetos mais funcionais também seriam bem-vindos: o do console central é estreito demais e os dos painéis das portas são muito rasos. O motor 1.3 dá conta de mover com agilidade o hatch. O bom acerto de câmbio também assegura a necessária agilidade no dia a dia no trânsito, sem que o motorista precise acelerar demais. O Argo tem fôlego suficiente para encarar subidas íngremes. A manopla de câmbio oferece engates fáceis, porém, tem o curso um tanto longo e é mais mole que o desejável. A ausência de uma sexta marcha não permite que a média do consumo no trecho rodoviário seja ainda melhor.O Argo não inclina tanto a carroceria nas curvas e transmite sensação de equilíbrio dinâmico. Dá para entrar em trechos sinuosos sem sustos, embora a versão não tenha controle de estabilidade. A suspensão, apesar de um tanto mole para quem gosta de pisar fundo no acelerador, é bem calibrada para enfrentar ruas cheias de buraco. A direção com assistência elétrica é precisa, transmitindo leveza nas manobras de estacionamento e rigidez em altas velocidades.Motor: 1.3, quatro cilindros, flex Potência: 109 cavalos (etanol) / 101 cavalos (gasolina) a 6.250 rpm Torque: 14,2 kgfm (etanol) / 13,7 kgfm (gasolina) a 3.500 rpm Transmissão: manual, 5 marchas, tração dianteira Suspensão: independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira) Freios: discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros) Pneus: 175/65 R14 Dimensões: 3,99 metros de comprimento, 1,72 metro de largura, 1,50 metro de altura, 2,52 metros de entre-eixos Peso: 1.140 kg Tanque: 48 litros Porta-malas: 300 litros Preço: R$ 54.590 na cor preto Vulcano. Outras cores sólidas (Vermelho Monte Carlo e Branco Banchisa) acrescentam R$ 800. Cores metálicas (Cinza Silverstone, Preto Vesúvio e Prata Bali) aumentam em R$ 2 mil e a perolizada Branco Alaska adiciona R$ 2.300. Estão disponíveis oito pacotes de opcionais, com preços de R$ 910 a R$ 2.990.

Veja Também