Diário Logo

Notizia Logo

Bicudinho-do-brejo-paulista está na plataforma ‘Salve’ que reúne 15 mil espécies ameaçadas

Um conhecido “morador” de Mogi das Cruzes está identificado entre as 15 mil espécies reunidas na nova plataforma lançada pelo ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, como sendo uma das aves criticamente em perígo de extinção. Especialistas e observadores de aves de Mogi das Cruzes e do Alto Tietê têm lutado para proteger o […]

7 de agosto de 2023

Reportagem de: O Diário

Um conhecido “morador” de Mogi das Cruzes está identificado entre as 15 mil espécies reunidas na nova plataforma lançada pelo ICMBio, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, como sendo uma das aves criticamente em perígo de extinção. Especialistas e observadores de aves de Mogi das Cruzes e do Alto Tietê têm lutado para proteger o bicudinho-do-brejo-paulista, que costuma frequentar o Brejinho de César de Souza, em Mogi das Cruzes.

Típico da Mata Atlântica, o pássaro está descrito na plataforma, que ganhou o nome SALVE, e deverá facilitar a gestão do processo de avaliação de espécies ameaçadas e contribuir para a geração de conhecimento e implementação de políticas públicas para o país.

O bicudinho-do-brejo-paulista, que tem o nome científico de Formicivora paludicola, é uma das recentes descobertas da ornitilogia e seu nome tem origem em palavras latinas: Papa formiga do pântano, por causa de seus hábitos de alimentação e vida.

Em Mogi das Cruzes, algumas ações visam proteger a espécie que circula por regiões como a área chamada de Brejinho de César, onde placas foram instaladas em 2021 para alertar que, ali, é um ponto de passagem do bicudinho-do-brejo-paulista, que corre o risco de desaparecer (veja reportagem).

O local, localizado em César de Souza, tem sido alvo de ameaças ambientais frequentes como invasões, incêndios e o despejo de lixo.

Ações como o monitoramento para impedir a degradação do Brejinho de César de Souza são acompanhadas há alguns anos pela sociedade civil e a imprensa local desde que observadores de pássaros e pesquisadores indentificaram a presença dele na cidade, especialmente no período de reprodução.

Acesse o Salve para conhecer toda a lista e acompanhar a situação das espécies brasileiras sob o risco de extinção (clique aqui).

SALVE

Rodrigo Jorge, coordenador de Avaliação das Espécies da Fauna em Risco de Extinção do ICMBIO, ressalta que é fundamental contar com uma plataforma com esse nível de detalhamento e organização de dados, que deverão ser atualizados em ciclos de dez anos.

Outro destaque do Salve é a transparência, já que o sistema pode ser acessado por qualquer pessoa que queira consultar as informações, como explica Rodrigo Jorge.

O usuário pode fazer consultas por recortes que já estão prontos na plataforma, como por exemplo a categoria das espécies criticamente em perigo, e também dá para fazer associações com diferentes filtros. É possível inserir na busca a espécie pretendida, tanto pelo nome comum, quanto pelo nome científico, e obter dados como grupo, categoria, última avaliação, estados, bioma, classificação taxonômica, distribuição, história natural, entre outros. Os dados podem ser baixados pelo usuário.

Do total de espécies avaliadas no Salve, mais de cinco mil e quinhentas possuem ficha publicada e mais de 1200 estão em alguma categoria de ameaça.

A plataforma pode ser acessada no endereço: salve.icmbio.gov.br.

VEJA TAMBÉM: Cidades da região do Alto Tietê, como Salesópolis, também desenvolvem ações para preservar o bicudinho-do-brejo-paulista. 

Veja Também