Diário Logo

Notizia Logo

Trânsito de Mogi já matou 25 pessoas neste ano

Uma primeira versão do balanço de acidentes divulgado na manhã desta terça-feira (21) atualizou o número de mortes em ruas e estradas de Mogi das Cruzes: de janeiro a maio deste ano, a violência no trânsito resultou em 25 vítimas fatais. Os dados são do Infosiga, o contador de registros mantido pelo Governo do Estado […]

21 de junho de 2022

Reportagem de: O Diário

Uma primeira versão do balanço de acidentes divulgado na manhã desta terça-feira (21) atualizou o número de mortes em ruas e estradas de Mogi das Cruzes: de janeiro a maio deste ano, a violência no trânsito resultou em 25 vítimas fatais. Os dados são do Infosiga, o contador de registros mantido pelo Governo do Estado que foi atualizado com as informações de abril e maio deste ano durante a manhã. No entanto, o resultado foi indisponibilizado para uma nova atualização das informações – não é possível, por exemplo, dizer quantos acidentes sem vítimas foram registrados neste ano.

Na cidade, maio foi marcado pela morte de mais um ciclista em ocorrência envolvendo caminhão, na Estrada das Varinhas (que segue à espera da instalação de radar eletrônico). Em abril, dois outros condutores de bicicleta morreram em colisões na via perimetral, no Rodeio, e na avenida Álvaro Pavan, em frente à Estação Estudantes. Após as três tragédias, protestos e cobranças foram articulados por coletivos de ciclistas no município.

O número de mortes, em maio, foi 7, três a mais do que o total ocorrido em 2021, porém, um saldo menor quando comparado com 2020, ano inicial da Covid-19, quando o comportamento do trânsito foi marcado pela redução da circulação de veículos por imposição da quarentena. Naquele ano, neste mesmo mês, foram 10 vítimas fatais

Maio se comparou à abril no total de vítimas fatais: com 7 óbitos; já em março, foram 4, em fevereiro 4 e em janeiro 4. 

Neste recorte estão as mortes do missionário europeu Peter Vitek, que atuou na Associação São Lourenço, localizada no distrito de Taiaçupeba, e faleceu no dia 1º de maio, após ter sido atropelado por um caminhão, além de outros dois ciclistas que faleceram em avenidas municipais.

Os dados do Infosiga podem ser acompanhados no site do Governo do Estado, embora, na manhã de hoje, a disponibilização dos dados foi marcada pela instabilidade e um aviso de que a base dos informações estava sendo atualizada pelo sistema (clique aqui).

Quando comparados os três útimos anos, 2020, o período inicial da pandemia, registrou o maior número de mortes em vias e estradas, com 28 mortes, seguido de 2022, com 25 e 22, em 2021.

 

Alto Tietê

Quando comparados os dados das cidades do Alto Tietê, houve um notável aumento de 90% nos acidentes fatais em maio – no ano passado foram 9 registros, e neste 21, sendo que no trânsito de Mogi das Cruzes e Itaquaquecetuba foram  7 vidas perdidas. Esse número, 21, foi o maior da média histórica, desde 2015, quando o Infosiga começou o atualizar as ocorrências no trãnsito e o total de vítimas foi 20.

Veja Também