MENU
BUSCAR
COLUNA INFORMAÇÃO

Shibata investe R$ 15 milhões em startup

Aporte permitirá a ampliação de inovações em soluções, como implementações de processos automatizados para identificar os usuários e novas frentes de pesquisas

Darwin ValentePublicado em 29/04/2021 às 18:41Atualizado há 1 mês

O Grupo Shibata, com sede em Mogi das Cruzes, atualmente com 26 lojas na Grande São Paulo, Vale do Paraíba e Litoral Norte, realizou um aporte  de R$ 15 milhões para a startup brasileira Wiboo, desenvolvedora de um programa de fidelidade e engajamento em blockchain (sistema que permite rastrear o envio e recebimento de alguns tipos de informação pela internet) com a sua cripto moeda WiBX. A notícia foi divulgada pela revista Exame. Segundo a Wiboo, o aporte permitirá que o Grupo Shibata  amplie sua operação, contratando novos profissionais, estruturando os processos comerciais e realizando melhorias na plataforma. “Como grande rede varejista acostumada às dores do mercado e às dificuldades de fazer um marketing digital efetivo, o Grupo Shibata viu a oportunidade perfeita de estar  à frente com uma inovação que irá auxiliá-lo em suas campanhas e ainda o coloca  na vanguarda da inovação”, segundo disse Pedro Alexandre, CEO e fundador da Wiboo. Conforme explicou à publicação, o aporte permitirá a ampliação de inovações em soluções, como as implementações de processos automatizados com inteligência artificial para melhorar a verificação de identidade dos seus usuários, além da criação de novas frentes de pesquisa  e na ampliação da parceria com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), com sede em São José dos Campos, onde  também se situa a startup. As novas frentes incluem ainda a prevenção de fraudes, biometria comportamental e inteligência artificial. Criada inicialmente como um social commerce,  focado apenas em programas de fidelidade, a startup Wiboo é uma plataforma de engajamento on line, que usa como base a sua criptomoeda nativa, WibX, para divulgação de campanhas das empresas e anunciantes. Segundo a reportagem, a ideia é transformar usuários comuns em microinfluenciadores nas redes sociais, para obtenção de novos consumidores, com uma proposta de redução de custos de aquisição em relação às mídias digitais existentes. Conforme a empresa, a proposta é atuar “como uberização da mídia com a segurança do blockchain”. Eric Shibata, diretor de Marketing do Grupo Shibata, diz que a empresa está apostando no WiBX “por ser algo novo, arrojado e promissor”. A startup Wiboo  é a criadora do WiBX, utiliy token negociado no Mercado Bitcoin e que atingiu recorde de negociação no início de março, quando chegou a R$ 178 milhões em volume negociado em  apenas 24 horas.

Mogiano é destaque

O músico mogiano Luiz Guilherme de Godoy, 33 anos, ganhou destaque na “Folha” pelo seu trabalho como um dos maestros da Ópera Estatal de Hamburgo e diretor artístico dos Meninos Cantores de Hamburgo, um dos grupos vocais mais antigos de todo o mundo. O jornal o aponta como “um dos músicos brasileiros mais bem sucedidos de sua geração” e mostra as dificuldades que Godoy teve de enfrentar até alcançar o sucesso e o respeito  dos adeptos e músicos eruditos europeus. O jornal traz ainda uma novidade: a partir da temporada deste e do próximo ano, o mogiano  passará a atuar como assistente do famoso maestro Kent Nagano, titular da Filarmônica de Hamburgo. Bravo!

Onibûs gratis ao 60 anos

O vereador Juliano Malaquias Botelho (PSB) é o autor de um projeto de emenda à Lei Orgânica do Município para que os cidadãos mogianos , a partir dos 60 anos, possam ter direito à gratuidade no transporte coletivo, em linhas urbanas e rurais de Mogi das Cruzes. Segundo Botelho, um dos objetivos de sua proposta é igualar os benefícios dados aos idosos, a partir dos 60, em vários municípios da região do Alto Tietê, inclusive na cidade de São Paulo. Ele alega ainda “razões humanitárias” para justificar a ideia. Junto com ele, assinam a proposta de emenda os vereadores Eduardo Ota (PODE) e Marcelo Porfírio da Silva (PSDB), entre outros. Para ser aprovado, o projeto precisa obter maioria absoluta ( dois terços), em duas votações.

Os mogianos e a Covid-19

A Covid-19 continua levando para hospitais de São Paulo pessoas conhecidas de Mogi das Cruzes. Além do empresário Fumio Horii e familiares, internados no Sírio-Libanês,  mais dois mogianos estão se recuperando da contaminação pelo novo coronavírus: o economista e colaborador deste jornal, Claudio Costa, reincidente na doença, que na quarta-feira recebeu alta da UTI do Hospital Albert Einstein, mas que lá ainda permanece, aguardando alta médica. No Einstein também se encontra o proprietário da agência de propaganda e publicidade Central Business, Antonio Carlos Urbano Andari, buscando elevar o índice de saturação do sangue para  obter alta médica neste final de semana.

ÚLTIMAS DE Informação