POSITIVO

Licitações abertas, sinal de normalidade

LOCAL Chamamento público para a exploração da lanchonete no interior do Parque Centenário foi reaberto. (Foto: arquivo)

Três editais com avisos de licitações e aditamento de contratos à Prefeitura Municipal dão certa normalidade à manutenção de obras e de serviços públicos no município. E também podem ser fontes para a geração e preservação de empregos nos próximos meses.

Está reaberto, por exemplo, o chamamento público para a exploração da lanchonete no interior do Parque Centenário, um equipamento que está fechado há tempos, e cobrado pelos frequentadores – nos finais de semana, carrinhos de alimentação estão sempre presentes neste equipamento de lazer e contemplação, o que já não acontece entre segunda e sexta-feira, quando o local também tem usuários cativos.

O maior contrato publicado ontem diz respeito à locação de equipamentos para o hospital de campanha, que está sendo erguido no Mogilar, e receberá pacientes durante o tratamento da Covid-19. Específico para essa demanda atemporal, esse serviço de saúde terá 200 leitos e está sendo feito pela Fast Engenharia e Montagem pelo valor de R$ 2,8 milhões.

Também foi aberto pela secretária municipal de Educação, Juliana de Paula Guedes de Melo, licitação na modalidade pregão para a realização de serviços de manutenção preventiva e corretiva de copiadoras e microcomputadores.

Entre os contratos figura o segundo aditivo, no valor de R$ 105 mil para realização das obras de reforma do prédio do Centro de Controle de Zoonoses, na estrada de Santa Catarina, em César de Souza. Esse serviço está sendo realizado pela Topus Terra Construções Ltda.

Foi prorrogado o prazo para recapeamento da avenida Ismael Alves dos Santos, entre as avenidas Francisco Rodrigues Filho e Carlos Ferreira Lopes. Esse é o terceiro aditivo do contrato mantido entre a Prefeitura e a MDR Construtora e Pavimentação Ltda., e que está recapeando outras vias mogianas.

Medida que tem impacto imediato nas ações de combate ao coronavírus foi publicada ontem pela Prefeitura. Trata-se também de um segundo aditivo no contrato de serviços prestados pelo Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim, o Cejam, no valor de R$ 369 mil, e que deverá permitir o pagamento de horas médicas, com reajuste de 3,5% aos profissionais que foram direcionados para outras atividades nas unidades de saúde. A medida valerá por 64 dias, e é descrita como emergencial, para o enfrentamento da contaminação pelo novo coronavírus, que transmite a Covid-19.

A Prefeitura contratou a TSERV Franqueadora Ltda. para a realização da desinfecção de caixas d’água pelo valor de R$ 207 mil e um período de 12 meses. Financiamentos culturais e a compra de equipamentos para a rede de saúde foram descritos entre os editais publicados pela Secretaria de Governo na edição de ontem deste jornal.

Esses atos administrativos, alguns deles, em caráter emergencial, deverão manter a regularidade de estruturas e órgãos públicos, e também os empregos gerados por eles. Além disso, garantem a continuidade da gestão municipal durante e após as medidas de isolamento social que, por exemplo, estão deixando as escolas municipais fechadas durante essas semanas, mas um dia, serão reabertas.


Deixe seu comentário