Diário Logo

Notizia Logo

Em ano de eleição, Câmara deve intensificar votação de projetos no primeiro semestre

Presidente busca colocar a grande maioria das propostas em pauta para garantir mais liberdade aos vereadores durante o período de campanha

4 de abril de 2024

Presidente e 1º secretário falaram sobre as expectativas para o último ano da legislatura | Fabrício Mello

Reportagem de: Fabricio Mello

Para evitar conflitos de agenda durante o período de campanha deste ano, o presidente da Câmara de Mogi das Cruzes, o vereador Francimário Vieira (PL), o Farofa, pretende intensificar a votação de projetos de lei durante o primeiro semestre de 2024. A estratégia, divulgada durante entrevista para O Diário, busca colocar em pauta “de 70 a 80% dos projetos parados”.

Ainda de olho no pleito em outubro, Farofa comentou que tem boas expectativas para o resultado nas urnas. O vereador, que irá apoiar a candidatura de Mara Bertaiolli para a prefeitura da cidade, disse que compõe um “grupo forte” que trará mais “força política” para Mogi das Cruzes (leia mais abaixo).

Ao lado do 1º secretário, o vereador Edson dos Santos (PSD), Farofa explicou que, quando assumiu a presidência, havia mais de 80 projetos de lei em trâmite na casa, mas sem novas movimentações. Desses, 35 já foram colocados em pauta e votados ao longo das sessões deste ano.

“As sessões ficam mais corridas, com cinco ou seis projetos sendo votados, mas a gente precisa fazer isso. Eu participei da outra reeleição e quando chegava nas sessões durante o período eleitoral, tinha oito vereadores presentes. Não tinha coro para votar.”

A estratégia busca promover mais votações durante o primeiro semestre para que os vereadores tenham mais margem e mais liberdade durante a disputa eleitoral.

Câmara mais independente

Outro ponto destacado pelo vereador é a postura que o Legislativo deve adotar ao longo dos próximos meses. Segundo Farofa, o objetivo é deixar “uma Câmara mais independente” e destacar o compromisso da presidência com a população.

“O que incomodava muito os vereadores era a ideia de que a mesa diretiva era um ‘puxadinho’ da prefeitura, que as pautas eram decididas pelo Executivo. Hoje, não.”

Para o vereador Edson dos Santos, a mesa “não pode misturar a agenda política com a agenda da Câmara”. Ele também ressaltou que a situação atual do Legislativo de Mogi das Cruzes é “democrática”, com oportunidades para os vereadores da base e da oposição.

“A gente precisa enxergar a Câmara como um todo. Por exemplo, a pauta de projetos: a gente coloca na pauta projetos importantes para a cidade, que já passaram por todas as comissões e sem se importar com bandeiras partidárias.”

Eleições 2024

Em relação ao pleito eleitoral deste ano, Farofa disse que vê o cenário com “tranquilidade”. Contando com o respaldo de Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, o vereador confirmou o apoio à candidatura de Mara Bertaiolli, que deve disputar a Prefeitura de Mogi das Cruzes pelo partido.

A ideia, segundo ele, é trabalhar com propostas que tenham um “melhor reflexo” para a população da cidade. Farofa explicou que a chapa deve contar com a união de sete partidos – contando o PL – para trazer mais propostas para Mogi das Cruzes. “Nós pertencemos a um grupo que tem experiência na administração da cidade,” ressaltou o vereador Edson dos Santos. 

Por fim, um ponto destacado pelo vereador Farofa foi a “força política” desse grupo.

“Eu tenho falado isso a todo momento: o prefeito Caio Cunha deixou muito a desejar nisso [a força política]. Nós [o PL] temos uma força política no governo federal, com o Valdemar Costa Neto, uma força no Estado de São Paulo, com o André do Prado na presidência da Alesp, o Marcos Damásio e outros deputados que vão ajudar a cidade de Mogi das Cruzes com recurso.”

Farofa ainda citou como exemplos de bons resultados dessa força a gestão do prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL). “Eu tenho certeza que a Mara será uma das melhores prefeitas da história de Mogi das Cruzes por conta da força desse grupo,” concluiu.

Veja Também