CASO

Motorista suspeito de atropelamento em César de Souza é identificado

QUEIMADO Veículo que atropelou Elivan Santos Leal foi incendiado, em César de Souza, após o acidente. (Foto: divulgação)

O autônomo Fernando Henrique Domingues de Oliveira, o “Pedrinho”, de 23 anos, foi apontado como o motorista do Monza que atropelou na madrugada de sábado o trabalhador Elivan Santos Leal, de 49 anos, na rua João Batista Toledo, em César de Souza, conhecida via onde condutores de veículos praticam ‘racha’, dirigindo em alta velocidade, conforme reclamam moradores do local.

Buscas foram feitas pelos investigadores Maurimar Batalha (chefe) e Ronaldo Batalha, além do escrivão João Brito, do 3º Distrito Policial, coordenados pelo delegado titular Alexandre Batalha.

A equipe localizou o Monza queimado em um matagal na esquina da rua Francisco Vilani Bicudo com a avenida Major Melo, na Vila Nova Aparecida. O carro envolvido no acidente foi apreendido e será submetido a exames pela Polícia Científica. Na delegacia, Fernando afirmou que o carro dele, “foi pego pela população que revoltada colocou fogo e o abandonou no mato”.

Ele foi ouvido no inquérito aberto no 3º DP para apurar os crimes de lesão corporal grave e omissão de socorro e negou que estivesse tirando ‘racha’. “Não ví o atropelamento e quando o meu carro deu um solavanco pensei que passei sobre uma pedra, soube do acidente só no dia seguinte ao ver o vídeo em rede social”. Fernando não tem antecedentes e depois de prestar declarações foi liberado.

Ao verificar a cena do atropelamento gravado por uma câmera, a equipe de policiais obteve a placa de um Logus e localizou o proprietário, o instalador Jorge Mariano de Paula Neto, de 24 anos.

Na delegacia, Jorge negou ter participado de ‘racha’ e de envolvimento com o atropelamento. Ele contou que foi chamado por Fernando por volta da 1 hora de sábado para dar uma ajuda, pois o Monza havia parado na “Divinéia” (Jardim Nova União). De volta para casa, contou, “Fernando estacionou o Monza na rua Augusto Regueiro e falou que achava que alguém atirou uma pedra no carro. Eu não vi nenhuma pessoa atropelada”. A versão dele confirmou a de Fernando Henrique.

O delegado qualificou Jorge no Boletim de Ocorrência. Elivan foi atropelado e ficou três horas no local. Um morador disse que ligou para o 190, da Polícia Militar, porém a equipe do Samu chegou três horas depois (veja matéria abaixo).

Mecânico localizado

A Polícia Civil registrou o reaparecimento do mecânico Roberto de Souza Ribeiro, de 48 anos. Ele estava sumido desde a noite de sábado após bater o seu carro num poste, na Vila Cintra. O filho dele, Douglas o encontrou em sua oficina e o seu pai esclareceu no 2º DP, em Braz Cubas, que ao acelerar o seu Fiat Toro para fugir de três assaltantes motoqueiros, perdeu o controle da direção. Populares se aglomeraram por causa do acidente e Roberto disse que “resolvi sair de lá”.


Deixe seu comentário