O convite para visitar a Câmara de Mogi e conhecer os novos vereadores, encaminhado pelo vereador Pedro Komura (PSDB) ao delegado seccional de Polícia, Jair Barbosa Ortiz, durante a sessão legislativa da última quarta-feira, pode ir muito além de um encontro meramente social.

Durante a reunião, o policial deverá ser questionado sobre informações que chegaram ao Legislativo, no dia de ontem, sobre uma suposta intenção do governo estadual de desativar o 3º e 4º distritos policiais de Mogi das Cruzes, localizados, respectivamente, na Vila Suíssa, no distrito de César de Souza, e no centro do distrito de Jundiapeba.

Segundo informações passadas aos políticos locais, a medida deverá fazer parte de um pacote para contenção de despesas na área da Segurança Pública, a ser adotado pelo governador João Doria, como forma de ajustar o orçamento do Estado à arrecadação, em queda durante o atual período de pandemia.

Nos casos específicos de Mogi das Cruzes, os cortes poderão coincidir com uma série de dificuldades já enfrentadas pela Polícia Civil para destinar delegados, escrivães e outros funcionários a essas duas repartições públicas, que já vinham sofrendo profundas mudanças nos horários de atendimento ao público, havia algum tempo, especialmente durante os finais de semana.

Segundo as informações ainda não confirmadas oficialmente, caso as supressões realmente venham a ocorrer, as ocorrências policiais normalmente encaminhados para Jundiapeba passariam a ser atendidas no plantão do Distrito Policial de Braz Cubasf (2º DP), enquanto as de César de Souza seriam transferidas para o Distrito Central (1º DP), nas proximidades do Cemitério São Salvador.

Logo que tomaram conhecimento das informações, recebidas de fontes merecedoras de crédito, os políticos se mostraram muito preocupados e dispostos a questionar o delegado seccional durante sua provável visita à Câmara, na próxima semana.  E, ao mesmo tempo, pedir o apoio de Jair Barbosa Ortiz para tentar impedir que a cidade sofra “um verdadeiro revés” na área da Segurança Pública, caso se confirme o fechamento dos dois distritos policiais. 

“Vamos iniciar um trabalho de mobilização de toda a sociedade mogiana para impedir a desativação desses dois distritos, organizando uma grande frente para impedir que o governador João Doria permita mais esse desastre contra Mogi das Cruzes. Depois da mal resolvida história do pedágio, só faltava mais essa: o fechamento de dois importantes polos de segurança em Mogi”, disse um político do mesmo partido do governador, pedindo para não ser identificado.