MENU
BUSCAR
Sistema

Semae avança com melhorias no abastecimento em César de Souza

Com investimento de R$ 6,7 milhões, intensão é agilizar reparos e diminuir perdas.

O DiárioPublicado em 25/02/2021 às 11:01Atualizado há 4 meses
Instalação de sensores tem objetivo de controlar operação do sistema de abastecimento de água / Divulgação - Semae
Instalação de sensores tem objetivo de controlar operação do sistema de abastecimento de água / Divulgação - Semae

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) concluiu a instalação de mais três sensores de pressão e vazão na rede de abastecimento de água da Vila Suíssa, em Cezar de Souza. As intervenções integram o pacote de obras de setorização (divisão de uma grande área de abastecimento em sistemas menores para melhor distribuição e manutenção) que estão sendo executadas pela autarquia na região leste da cidade para agilizar reparos e diminuir perdas. O investimento é de R$ 6,7 milhões.

“A instalação desses sensores tem o objetivo de controlar a operação do sistema de abastecimento de água, garantindo o bom funcionamento da distribuição e evitando vazamentos”, afirma Wagner de Carvalho Moraes, da Divisão de Distribuição de Água do Semae.

“Esta é uma entre outras ações que a autarquia vem adotando para aplicar recursos tecnológicos de monitoramento, que inclui o controle dos níveis de diversos reservatórios e a supervisão do funcionamento das estações de bombeamento”, completa.

O setor de abastecimento leste é toda região atendida pela Estação de Tratamento de Água (ETA) do Socorro. Os bairros abrangidos vão de Sabaúna à Vila Oroxó, passando por todo distrito de Cezar de Souza, Jardim Maricá, Ponte Grande, Jardim Aracy e Itapety, ao longo da margem direita do rio Tietê.

As obras atualmente estão concentradas em Cezar de Souza, onde já foram instalados mais de dez sensores de vazão e pressão que possuem transmissão de dados online.

“Esses sensores geram alertas quando algum comportamento anormal ocorre, indicando o surgimento de vazamentos ou parada em sistemas de bombeamento. Assim, as equipes do Semae podem se deslocar até o local e verificar o que está acontecendo, sem que algum cliente tenha de ligar para reportar a situação”, diz o técnico.

Além disso, a autarquia está instalando diversas válvulas ao longo do sistema de distribuição, com o objetivo de isolar áreas menores, caso seja necessário parar o abastecimento para a realização de manutenções.

“Os resultados dessas ações já estão sendo percebidos, por meio da diminuição da incidência de vazamentos, diminuição no consumo de energia elétrica e redução de perdas”, detalha Wagner.

Durante o processo de instalação desses equipamentos, pode ser necessário fechar alguns registros, com interrupções pontuais do fornecimento de água por poucas horas, em bairros ou trechos específicos. “A duração aproximada é de cerca de duas horas. Sendo assim, os imóveis que possuem caixa d’água não sentem o efeito da interrupção”, assegura.

O Semae orienta os moradores que não têm reservatório em casa a providenciar a instalação de caixa d’água. A recomendação é de uma reserva de 200 litros diários por pessoa. Assim, uma família com cinco membros deve ter em casa uma caixa d’água de mil litros, no mínimo. Isso garante o abastecimento da residência durante manutenções de rotina na rede e, com o uso moderado, o fornecimento fica garantido até por mais de um dia, mesmo com o sistema público suspenso.

“Ressaltamos a importância do uso racional da água durante todo o ano, em especial no período de verão, quando o consumo se eleva, mas tem de ser sustentado pelas mesmas estruturas existentes. Os consumidores também podem colaborar ao denunciar ações de vândalos que, vez ou outra, depredam as estações de bombeamento, prejudicando a prestação de serviço”, conclui o técnico.

ÚLTIMAS DE Notícias