Polícia identifica 'homem-aranha' suspeito de furtos em Mogi | O Diário de Mogi
ESCALANDO PRÉDIOS

Polícia identifica ‘homem-aranha’ suspeito de furtos em Mogi

Homem é suspeito de escalar prédios para praticar furtos em Mogi. (Foto: Divulgação)
Homem é suspeito de escalar prédios para praticar furtos em Mogi. (Foto: Divulgação)

Após levantamentos realizados junto à Polícia Civil, de Minas Gerais, o delegado titular Argentino da Silva Coqueiro e o investigador chefe Luis Roberto Bourg de Mello, do Distrito Central, em Mogi, identificaram o ladrão denominado por policiais como ‘Homem-Aranha” em razão de pular muros e escalar prédios na cidade. Trata-se de Wellison Afonso da Silva, de 38 anos. De acordo com o atestado de antecedentes do criminoso coletado no Fórum de Lafayete, em Belo Horizonte, ele é autor de roubos e furtos naquele estado e até cumpriu penas impostas pela Justiça. O delegado Argentino disse, na tarde de ontem, a O Diário que vai indiciá-lo pelo furto que cometeu em 2017, no apartamento do padre Alessandro Campos  depois de escalar o Condomínio Felicittá, no Alto do Ipiranga. Nas buscas, a equipe descobriu que Wellison foi o autor do roubo do celular que praticou em 21 de fevereiro de 2017 contra  Bruna Sandoval, de 31 anos, que caminhava pela Rua Engenheiro Eugênio Motta”, disse o titular.

A autoridade explicou que “irá indiciar Wellison no inquérito do furto, cuja vítima é o padre, porque na ocasião ele deu o nome do irmão, Renato Ferreira da Silva. Com essa identidade chegou a ser preso e autuado em flagrante”.

A situação se complicou quando, na época, a Justiça colocou o ladrão em liberdade, pois a polícia ainda não havia confirmado o verdadeiro nome dele. Logo depois um juiz, do Fórum de Mogi, determinou a prisão novamente, porém, ele segue foragido.

O investigador Bourg acredita que o “Homem-Aranha” é o responsável pelo furto da carteira do com R$ 250,00 e do celular, pertencentes ao comerciante Fabrício Noronha, que reside num dos apartamentos do Edifício Beverlly Hills, na Vila Oliveira.

O delegado Argentino ressaltou que ao mandar fazer a comparação da planilha com as impressões digitais do ‘Homem-Aranha”  no Instituto de Identificação de Minas Gerais, as quais foram coletadas durante a elaboração do auto de prisão em flagrante, realmente chegou-se ao nome que o marginal forneceu: Renato Ferreira da Silva, morador em Belo Horizonte, Ele foi ouvido pela Polícia de Minas, é deficiente físico, pois teve uma perna amputada, porém ficou em silêncio ao ser perguntado se conhecia alguém em Mogi. Nas investigações ficou  apurado que Renato é o irmão de Wellison, o “Homem-Aranha”.