Diário Logo

Notizia Logo

Projeto Vidro Vira Vidro passa a disponibilizar novos pontos de coleta para reciclagem

Equipamentos permitem fácil acesso à população para que efetue o descarte adequado de embalagens de vidro pós-consumo

3 de fevereiro de 2024

Na semana que vem, serão instalados outros PEVs e os endereços ainda estão sendo definidos | Warley Kenji - Prefeitura de Mogi

Reportagem de: O Diário

A Prefeitura de Mogi das Cruzes, em parceria com as empresas Massfix e Verallia, está ampliando a instalação dos pontos de coleta de vidro para reciclagem, como parte do Projeto Vidro Vira Vidro. Foram instalados Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) nas Praças Paulo Vaz Romero e 18 de Junho (ambas no Jardim Armênia), em Sabaúna e mais duas unidades entrada do Pró-Hiper, que auxiliarão no recolhimento de vidro durante o Carnaval. Na semana que vem, serão instalados outros PEVs e os endereços ainda estão sendo definidos.

Atualmente, são 37 Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), permitindo fácil acesso à população para que efetue o descarte adequado de embalagens de vidro pós-consumo. Serão instalados mais 13 pontos em fevereiro e, com isso, o projeto vai fechar o mês com 50 equipamentos do tipo em uso. Empresas privadas também podem solicitar a instalação dos coletores. O pedido será analisado para que verifique sua viabilidade.

Liderado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Proteção Animal, o projeto é operacionalizado por duas empresas da cadeia de vidro: a Massfix, líder nacional na reciclagem de cacos de vidros, instalada no bairro do Taboão, e a Verallia, líder europeia e terceira maior produtora de embalagens de vidro para alimentos e bebidas do mundo. 

A estimativa do setor é de que 75% do vidro consumido no Brasil vai para aterros sanitários – apenas 25% segue para a reciclagem. Um detalhe importante é que o vidro é 100% reciclável: um quilo de cacos é suficiente para a produção de um quilo de vidro novo.

Além disso, a utilização de cacos na produção de novas embalagens proporciona redução no consumo de energia, na extração de recursos naturais e na emissão de dióxido de carbono (CO2). Como exemplo, a cada 10% de cacos utilizados na produção de vidro, é possível reduzir 5% de CO2 e 2,5% de consumo de energia no processo de fabricação. O processo contribui também para a redução dos impactos das mudanças climáticas.

Veja Também