RENATO ABDO

Secretário de agricultura de Mogi relata como enfrenta a Covid-19

SINAIS Renato Abdo conta que os primeiros sintomas foram fortes dores nos cotovelos, pulsos e mãos. (Foto: arquivo)

Uma dor intensa nos cotovelos foi o primeiro sinal de que algo não estava certo com o secretário municipal de Agricultura, Renato Abdo, de 43 anos. Era quarta-feira da semana passada, e o dia seguinte já iniciou com o desconforto no punho. Ainda assim, ele continuou com as atividades, pois não tinha noção de que poderia ser o novo coronavírus. Na sexta-feira pela manhã, os sintomas se agravaram. A dor alcançou as demais articulações, a garganta fechou e havia muita dor ao abrir e fechar as mãos. Ele saiu e voltou logo para casa, e nem mesmo conseguia mais engolir o almoço. Era hora de procurar um médico.

“Quando cheguei ao hospital, a minha articulação doía muito, tomei tramal, dor apagou um pouco e começamos a fazer uma busca para ver o que poderia ser. Eu tinha feito uma cirurgia no pescoço recentemente, mas não era isso. Em uma tomografia no tórax identificaram que era uma infecção por vírus. Fui medicado e encaminhado para casa”, conta.

No dia seguinte, o secretário foi para o Hospital Municipal de Braz Cubas, referência no atendimento a pacientes com o novo coronavírus, onde passou por exames e recebeu a confirmação de que estava com a Covid-19. Com a notícia, a orientação foi ficar em isolamento por 14 dias e tomar remédio para a dor, que na manhã de ontem já estava mais controlada. Ele está isolado em um quarto com banheiro da residência. O filho foi para a casa da mãe e a mulher utiliza o restante do imóvel.

“Sou uma pessoa extremamente ativa, e fui pego de surpresa, porque a gente não imagina que vai ser vítima, ainda mais que não tive nenhum sintoma nas vias respiratórias. A minha dificuldade era na locomoção. Vinha um pouco de cansaço porque tinha que fazer muita força para se movimentar. Mas o médico disse que existem algumas pessoas que são sofrem alteração respiratória, mas têm esses mesmos sintomas que tive”, detalhou.

Abdo não tem ideia de onde por ter contraído o vírus. Nas últimas semanas, ele vem trabalhando ativamente com o abastecimento do setor agrícola na cidade. “Fica a minha mensagem para que as pessoas realmente se previnam, tomem cuidado e, se precisarem sair de casa, devem estar protegidas, porque chegamos não sabemos de onde o vírus veio e como veio”, ressalta.

O isolamento domiciliar do secretário vai até o dia 17 deste mês, mas ele já consegue realizar as atividades de casa.


Deixe seu comentário