Diário Logo

Notizia Logo

Sindicato de delegados repudia desfile da Vai-Vai e acusa escola de “demonizar a polícia”

Nota emitida pela entidade pede que a escola reconheça o exagero utilizado na alegoria e se retrate publicamente

13 de fevereiro de 2024

Sindicato disse que ala da escola era uma afronta | Reprodução/Instagram

Reportagem de: Fabricio Mello

O Sindicato de Delegados de São Paulo (Sindpesp) emitiu uma nota repudiando o desfile da Vai-Vai. No texto, o Sindpesp afirma que a escola “demonizou a polícia” e que seu samba enredo é uma afronta à Polícia.

A Vai-Vai desfilou no sambódromo do Anhembi na noite de sábado (10), com o enredo “Capítulo 4, Versículo 3 – Da Rua e do Povo, o Hip Hop: um manifesto paulistano”, contando a história do Hip-Hop e homenageando figuras do cenário.

Entretanto, ao homenagear o álbum “Sobrevivendo ao Inferno”, dos Racionais MCs, a escola utilizou alegorias que criticavam a violência policial, o racismo e a desigualdade. Com uso de chifres e outros itens que ligavam a figura policial a de um demônio, a ala foi motivo de “extrema indignação” por parte do Sindpesp.

“Em nome do que chama de ‘arte’ e de liberdade de expressão, [a escola] afronta às forças de segurança pública, desrespeita e trata, de forma vil e covarde, profissionais abnegados que se dedicam, dia e noite, à proteção da sociedade e ao combate ao crime, muitas vezes, sob condições precárias e adversas, ao custo de suas próprias vidas e famílias”, diz a nota do sindicato.

O Sindpesp também acusou a escola de “tratar com escárnio a figura dos agentes da lei” e espera que a Vai-Vai reconheça que “exagerou e incorreu em erro” e “se retrate publicamente”.

O que diz a Vai-Vai

A Vai-Vai, por sua vez, explicou, em nota, que fez uma homenagem ao álbum dos Racionais MCs – importantes figuras do Hip-Hop brasileiro – e que não teve a intenção de promover quaisquer ataques à classe.

A escola também ressalta que o enredo fez um recorte histórico da década de 90, onde a Segurança Pública era uma questão latente e a mortalidade da população preta e periférica tinha índices altíssimos.

Veja Também