CRISE

Spani Atacadista de Braz Cubas encerrará atividades dia 18 e irá demitir 105 funcionários

CASO Grupo responsável pelo Spani aponta inviabilidade da renovação do contrato de locação do imóvel. (Foto: Eisner Soares)
CASO Grupo responsável pelo Spani aponta inviabilidade da renovação do contrato de locação do imóvel. (Foto: Eisner Soares)

O Spani Atacadista, localizado no distrito de Braz Cubas, irá encerrar suas atividades em Mogi no dia 18 deste mês. Com isso, 105 funcionários da loja, que já se encontram em aviso prévio, perderão seus empregos, em meio à crise provocada pelo coronavírus, o que irá agravar ainda mais a situação dessas famílias.

A notícia do fechamento do Spani foi dada pela assessoria do Grupo Zaragoza, controlador da rede atacadista, que esclarece: o motivo da medida está vinculado à inviabilidade da renovação de contrato de locação do imóvel onde a loja está instalada desde o ano de 2004. Segundo cadastro na Prefeitura, o local pertence à empresa Tagiza Empreendimentos.

As negociações relativas ao aluguel do espaço e do prédio do Spani estiveram sub judice, ou seja, à espera de uma decisão da Justiça, desde novembro de 2014, há quase quatro anos, portanto.

Ao final do processo, o grupo controlador da rede atacadista avaliou e decidiu pelo fechamento da loja.

Segundo o Grupo Zaragoza, o valor arbitrado pela Justiça para continuidade do contrato de locação “impossibilitaria e ameaçaria” o equilíbrio econômico e financeiro da unidade de Mogi das Cruzes.

“A decisão de fechamento levou em conta aspectos técnicos e de mercado”, diz a empresa, que comunicou o fato inicialmente a seus colaboradores, que também foram informados que estariam cumprindo aviso prévio, a partir do dia 1º de abril último.

O Grupo Zaragoza informa ainda a seus clientes e a toda comunidade de Mogi das Cruzes e região, que já iniciou estudos para viabilizar a abertura de uma nova loja na cidade e, dessa forma, voltar a atender sua clientela,

Em nota, o grupo lamenta a tomada da decisão que considera “difícil e penosa” e diz contar com a “compreensão de todos”.

Outro lado

Procurado por O Diário, o diretor de Desenvolvimento Econômico e Social da Prefeitura de Mogi, Claudio Costa, disse que, ao tomar conhecimento do fato, irá entrar em contato com o Grupo Zaragoza para buscar reverter a decisão de fechamento do Spani.

“Estamos em contato com a diretoria para tentar postergar a decisão por mais algum tempo, para que a Prefeitura possa tentar intermediar alguma medida conciliatória entre o grupo controlador do Spani, o proprietário da área e do prédio, ou até mesmo com agências de fomento do Estado, como a Desenvolve SP, para, se for o caso, ajudar a manutenção do supermercado na cidade com financiamento”, disse Costa.

A decisão do Grupo Zaragoza acontece em um momento de transição na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social da Prefeitura de Mogi, em que o titular, Clodoaldo de Moraes (PL) já deveria ter sido substituído, no mês passado, depois que pediu exoneração do cargo para retornar à Câmara Municipal e tentar a reeleição.

Ele poderia ter saído na semana passada, mas diante da confusão provocada pelos reflexos da pandemia do novo coronavírus na cidade, que atingiram também a administração municipal, o prefeito Marcus Melo pediu para que Clodoaldo permanecesse no cargo por mais uns dias. Na prática, não houve, durante os últimos tempos, o acompanhamento dessa situação envolvendo o Spani, que somente agora chegou ao conhecimento das autoridades, já sacramentada.


Deixe seu comentário