Diário Logo

O Diário Logo

Suzano anuncia a expansão de malha cicloviária da cidade

A cidade de Suzano pretende ampliar a malha cicloviária da cidade, passando dos atuais cinco para mais de 150 quilômetros em dez anos, com a criação de novas rotas que vão conectar as regiões norte e sul ao centro da cidade. O novo Plano Cicloviário para Suzano que propõe as diretrizes para a expansão da mobilidade ativa […]

6 de maio de 2023

Reportagem de: O Diário

A cidade de Suzano pretende ampliar a malha cicloviária da cidade, passando dos atuais cinco para mais de 150 quilômetros em dez anos, com a criação de novas rotas que vão conectar as regiões norte e sul ao centro da cidade.

O novo Plano Cicloviário para Suzano que propõe as diretrizes para a expansão da mobilidade ativa no município, foi apresentado pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação última quinta-feira (04/05), em solenidade realizada no Cineteatro Wilma Bentivegna, com a presença do prefeito Rodrigo Ashiuchi; representantes da empresa contratada para a elaboração do plano, a TC Urbes Mobilidade e Projetos Urbanos; e demais autoridades dos poderes Legislativo e Executivo municipais, além de ciclistas da cidade.

O projeto prevê o aumento da malha cicloviária de 5 quilômetros para 150 quilômetros em dez anos, permitindo a conexão das regiões norte e sul ao centro de Suzano. A solenidade de lançamento, realizada no Cineteatro Wilma Bentivegna (rua Paraná, 70, Jardim Paulista), contou com a presença do prefeito Rodrigo Ashiuchi; representantes da empresa contratada para a elaboração do plano, a TC Urbes Mobilidade e Projetos Urbanos; e demais autoridades dos poderes Legislativo e Executivo municipais, além de ciclistas da cidade.

O objetivo do projeto, segundo a Prefeitura, é proporcionar as condições necessárias para que cada vez mais moradores utilizem a bicicleta como meio de transporte não só como lazer, mas também para se locomover ao trabalho. Para isso, o plano estabelece metas de adesão progressiva da população a esse modal. A ideia é garantir, dentro de cinco anos, que 5% das viagens internas no município sejam feitas pela rede cicloviária, e, em um espaço de dez anos, promover o deslocamento de 10% da população por bicicleta.

Atualmente, já estão em andamento obras que garantirão um acréscimo de 5,29 quilômetros nessa rede, sendo que a expectativa da administração municipal é de que até o fim do ano que vem, a malha cicloviária do município possa ser superior a 15 quilômetros, já incluindo o espaço específico para as bicicletas na rua Sete de Setembro e nas avenidas Jorge Bei Maluf e Senador Roberto Simonsen.

Além de conectar as duas regiões com o centro, está prevista a ligação desse modal com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), por meio da Linha 11-Coral. A partir desse ponto, um dos deslocamentos possíveis, utilizando-se a bicicleta, é a interligação com a Rota Caminho do Sal, entre Santo André, Mogi das Cruzes e Ribeirão Pires, permitindo o acesso à rodovia Caminho do Mar (SP-148) e à estrada Mogi das Cruzes, que possibilita passagem por área de montanha e vista para o mar. O projeto ainda sugere uma parceria com o Poá, para garantir a construção de um novo caminho cicloviário que possa encurtar a trajetória para os usuários de bicicleta que vivem nesta parte do município.

 

Repercussão

 

O arquiteto da TC Urbes, Paulo Silva, abordou as ações que foram desenvolvidas para a confecção do projeto, além de alguns detalhes do plano. “Para traçarmos o diagnóstico, buscamos entender os aspectos demográficos do município. Para isso, produzimos pesquisa de campo, entrevistando moradores e nos reunimos com o corpo técnico da prefeitura. Vimos de que maneira a bicicleta poderia chegar aos diversos equipamentos públicos e se integrar com o transporte coletivo, levando em conta as peculiaridades do trajeto de cada região”, esclareceu Silva.

Na avaliação do presidente da TC Urbes, Ricardo Corrêa, Suzano tem as condições ideais para se tornar uma das cidades com maior utilização de bicicleta em toda a América Latina. “Pelas características de clima, que não compromete o deslocamento nas chegadas e saídas do trabalho, e de relevo, já que é um município predominantemente plano, podemos chegar a ter 20% da população se deslocando por esse modal. O projeto contempla as adequações necessárias no trânsito como redução de velocidade, reforço na sinalização e barreiras físicas em alguns pontos para garantir a segurança dos ciclistas”, explicou Corrêa.

Claudinei Galo, da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, lembrou que o número de veículos triplicou nas últimas duas décadas, ressaltando a necessidade de adotar novas soluções de deslocamento na cidade para garantir mais fluidez ao trânsito. “Esse plano era muito esperado e está sendo pensado para o nosso futuro. A expansão da nossa malha cicloviária vai ser realizada com toda a segurança para quem trafega de bicicleta, como fazemos na rede já existente. É importante frisar que na avenida Brasil, onde temos área para os ciclistas, não houve nenhum acidente desde que foi implantado esse espaço, há três anos. Nós sempre nos preocupamos em manter os ciclistas no sentido de direção da via”, pontuou Galo.

O secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Elvis Vieira, falou da importância de desenvolver mais possibilidades de mobilidade ativa e planejar a cidade para o futuro. “O Plano Cicloviário é uma consequência do Plano Diretor, de 2017, e do Plano de Mobilidade Urbana, de 2019. Chegou o momento de avançar sobre esse tema para que possamos pensar os próximos dez, 20 e 30 anos. Queremos construir uma cidade mais humana e vamos trabalhar todas as etapas necessárias para promover a transformação do município sob esse aspecto. Depois do diagnóstico das características do sistema, vamos avaliar de que maneira as ciclovias, as ciclofaixas e as ciclorrotas poderão conectar todas as regiões da cidade”, avaliou Vieira.

 

O presidente da Câmara de Vereadores, Joaquim Rosa, destacou que as novas soluções de mobilidade também contribuem com o meio ambiente. “Quando pensamos que os trabalhadores poderão se deslocar de bicicleta, temos que incluir o viés ambiental que está relacionado a esse projeto. Com menos carros nas ruas, preservamos a qualidade do ar e adotamos mais uma política sustentável em nossa cidade. É um plano muito bom, que vem para somar com as demais opções de transporte. O Legislativo está à disposição da administração municipal para que possamos trabalhar juntos pelo bem de Suzano”, reforçou o parlamentar.

 

O prefeito Rodrigo Ashiuchi enumerou os benefícios diversos que a expansão da malha cicloviária garantirá aos moradores. “Vamos promover uma nova possibilidade de deslocamentos para o trabalho, estimulando as pessoas a praticar exercício físico e proporcionar o estabelecimento de novas relações sociais, pois os ciclistas têm o hábito de pedalar em grupo, o que é muito saudável. Além disso, ainda criamos novas rotas turísticas em nosso município. A região de Palmeiras poderá se tornar uma referência nesse sentido e permitirá que visitantes de outras cidades possam conhecer melhor as belezas de nosso município. É um projeto que beneficia a todos e coloca nossa cidade no caminho do desenvolvimento”, ressaltou o chefe do Executivo municipal.

Participações

Estiveram no evento os secretários municipais André Chiang (Meio Ambiente), Afrânio Evaristo da Silva (Segurança Cidadã e Gabinete), e Alex Santos (Governo), além do coordenador da Unidade de Planejamento e Assuntos Estratégicos (Upae), Mauro Vaz. Entre os vereadores participaram Márcio Alexandre de Souza, o Márcio Malt; Rogério Castilho; Artur Takayama; Antonio Rafael Morgado, o Professor Toninho Morgado; Marcel Pereira da Silva, o Marcel da ONG; José de Oliveira Lima, o Zé Oliveira; e Lazario Nazare Pedro, o Lázaro de Jesus. Ainda marcaram presença a diretora de Planejamento Territorial da Prefeitura de Suzano, Eliene Corrêa Rodrigues Coelho, e o presidente da Associação de Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Suzano (AEAAS), Eduardo Habu.

 

Veja Também