Diário Logo

Notizia Logo

Vila Helio é palco para concerto de violão do uruguaio Lautaro Perez Batalla

Celebrada por conferir ao centro histórico de Mogi das Cruzes um visual bucólico e nostálgico, a Vila Helio também se torna importante por outro motivo. A partir das 20h30 deste sábado, dia 7 de maio, o instrumentista uruguaio Lautaro Perez Batalla fará lá a estreia mundial de uma peça do compositor espanhol Juan Erena: ‘Los […]

5 de maio de 2022

Reportagem de: O Diário

Celebrada por conferir ao centro histórico de Mogi das Cruzes um visual bucólico e nostálgico, a Vila Helio também se torna importante por outro motivo. A partir das 20h30 deste sábado, dia 7 de maio, o instrumentista uruguaio Lautaro Perez Batalla fará lá a estreia mundial de uma peça do compositor espanhol Juan Erena: ‘Los Atardeceres’.

Foi o amor que trouxe Lautaro, nascido em Montevidéu, para Mogi das Cruzes. “Namoro há 8 anos com minha companheira, e já estou há dois morando aqui”, diz ele, com sotaque bonito, que transparece o orgulho na voz. “Tenho sentimento muito grande e forte por Mogi, e cada vez mais tenho interesse muito grande em fazer a cidade crescer e aportar em questões artísticas e musicais, principalmente vinculadas ao violão clássico, de concerto”.

Não são apenas palavras. Lautaro está, de fato, colocando a mão na massa, dando aulas particulares e também em uma escola. Estavam faltando, ele conta, as apresentações ao vivo, pausadas com pesar durante a pandemia.

“Esse concerto é muito importante para mim. É meu retorno. Quando eu morava em Buenos Aires, eu fazia muitas apresentações, era bastante ativo, em várias partes da Argentina e Uruguai”, lembra o artista, que veio para o Brasil fazer intercâmbio, no último semestre da faculdade, pela USP- ECA (Escola de Arte e Comunicação da Universidade de São Pablo Brasil).

Por aqui, conheceu diferentes estados, a partir de contatos feitos com a baixada do Uruguai. Além de Mogi, Salvador, na Bahia, ficou na memória. Mas “veio a pandemia e apartou tudo”, diz ele, empolgado em, mais uma vez, “levar o violão de concerto ao público”.

A estrela do repertório é ‘Los Atardeceres’, que o espanhol Juran Erena compôs e dedicou a Lautaro. A música está no disco de Juan e pode ser ouvida no Spotify. É calma e gostosa de ser apreciada, assim como o momento que inspira seu título: o pôr do sol. A faixa será tocada ao vivo, em público, pela primeira vez, em solo mogian – que o instrumentista uruguaio aprendeu a amar.

Vale dizer que, quem transformou Mogi em palco para Lautaro foi Solange, proprietária da ‘A Eólica bookbar’, uma “livraria independente e espaço social” que está instalada na Vila Hélio. “A conheci, e sabendo que ela está ligada com questões culturais, ofereci meu concerto. Ela super topou e agora viramos amigos”, celebra o violonista.

Além de ‘Los Atardeceres’, ele tocará mais peças, as quais O Diário divulga aqui, com exclusividade: ‘El Último Trémolo’, de Agustin Barrios; ‘Le Départ’, de Napoleón Coste, ‘Sakura’, de  Yuquijiro Yocoh; ‘Misionerita’, de  Lucas B. Areco e Jorge Cardoso; ‘Rossiniana nro. 1’, de Mauro Giuliani e ‘Cielo Abierto’, de Quique Sinesi.

O concerto deste sábado (7) tem ingressos limitados – e que se esgotaram em um piscar de olhos. Por isso, quem não puder ir, pode conhecer Lautaro pelo podcast “Reflexiones de un Músico”, no Spotify, ou no canal do YouTube. Já a biografia do artista também pode ser lida a seguir.

 

 

O artista

Lautaro Pérez Batalla nasceu em Montevidéu – Uruguai em 24 de agosto de 1993. Aos 15 anos se estabeleceu na Argentina e começou a estudar música e violão. Começou no violão folk e após três anos começou a dedicar-se ao violão clássico tendo as primeiras aulas com o violonista missionero Luis Zanazzo. Aos 19 anos mudou-se para a cidade de Buenos Aires para continuar seus estudos musicais na UNA (Universidade Nacional de Artes).

Atualmente está concluindo sua “licenciatura em artes musicais com orientação de violão”, formando-a com os professores e solistas Javier Bravo, Silvana Saldaña e Esteban Gonzáles Carbone (Argentina). Também recebeu aulas particulares com o compositor e violonista Juan Carlos Alves (Uruguai) e master classes com os professores Marcos Puña (Bolívia), Simone Iannarelli (Itália) e Fábio Zanon (Brasil). Grandes compositores, como Juan Erena (Espanha) e Luis Zanazzo (Argentina), dedicaram-lhe composições e arranjos exclusivos. Ministrou masterclasses e palestras de reflexão sobre música na Argentina e no Uruguai. Também já se apresentou em importantes salas do Uruguai e da Argentina, como a USINA del Arte, uma das mais prestigiadas do país (Argentina).

Ele dividiu o palco com mestres da estatura do grande violonista e compositor argentino Juan Falú. Integrou a organização do consagrado festival internacional de violão “Santa María de los Buenos Aires” ocupando a posição de produtor de competidores e seminaristas. Também participou de concursos internacionais de violão e fez intercâmbio de estudos por um ano na USP- ECA (Escola de Arte e Comunicação da Universidade de São Pablo Brasil).

Veja Também