Diário Logo

Notizia Logo

3 dicas para proteger a audição no Lollapalooza

Nesta sexta-feira (22/03), começa o Lollapalooza. O festival, um dos mais aguardados do ano, acontece até o dia 24 de março e promete atrair públicos com diversos estilos musicais. No entanto, devido à música alta e ao barulho, é importante que as pessoas tomem alguns cuidados para proteger a audição. Isso porque, conforme otoneurologista Dra. […]

22 de março de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

Nesta sexta-feira (22/03), começa o Lollapalooza. O festival, um dos mais aguardados do ano, acontece até o dia 24 de março e promete atrair públicos com diversos estilos musicais. No entanto, devido à música alta e ao barulho, é importante que as pessoas tomem alguns cuidados para proteger a audição.

Isso porque, conforme otoneurologista Dra. Nathália Prudencio, especialista em tontura e zumbido, “a perda auditiva e sintomas relacionados podem se instalar após uma única exposição ao som alto, dependendo da susceptibilidade do paciente. Isso é o que chamamos de trauma acústico, um problema muito mais comum do que as pessoas imaginam”.

Efeitos do som alto nos ouvidos

Segundo a Dra. Nathália Prudencio, não é incomum que as pessoas sintam um incômodo auditivo, como zumbido, depois de uma festa ou show com som em volume muito alto. “Isso acontece, pois dentro do nosso ouvido existem células ciliadas que vibram em resposta às ondas sonoras externas. É a interpretação dessas informações que chegam até a nossa cóclea que criam a nossa experiência auditiva, seja ao conversar com alguém, ao ouvir um ruído ou apreciar uma música”, diz.

A especialista também explica que, dada a intensidade do estímulo sonoro, essas células podem ser agredidas, causando lesões nos ouvidos. “Quando moderada, as células são capazes de se recuperar e restabelecer o funcionamento anterior. Nesse caso, o zumbido ou outro incômodo auditivo tende a desaparecer depois de algumas horas. Entretanto, mesmo assim a exposição a sons muito altos, mesmo que por curtos períodos, podem provocar alterações irreversíveis no sistema auditivo”, alerta a médica.

Sintomas de lesão auditiva

Além do zumbido, a Dra. Nathália Prudencio explica que outros sintomas de lesão auditiva podem ser identificados, como:

  • Sensibilidade aumentada a determinados tipos de som;
  • Dificuldades para compreender a fala de pessoas;
  • Sensação de ouvido tapado.

“Em muitos casos, mesmo após a melhora dos sintomas, é possível que alguma sequela permaneça, tornando o indivíduo mais sensível a problemas auditivos futuros”, completa.

Limites de sons altos

Para prevenir danos à audição, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda evitar ruídos acima de 85 decibéis, mas esse limite pode ser menor para pessoas com algum tipo de sensibilidade ou problema auditivo.

Estimativas da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF) apontam que o barulho em shows e festivais pode chegar aos 120 decibéis para quem está próximo das caixas de som, um nível de ruído próximo ao de uma turbina de avião.

“O limite de exposição considerado seguro para sons de 85 decibéis é de 8 horas diárias. Para sons de 110 decibéis, a orientação é não ultrapassar 30 minutos e, para sons de 120 decibéis, apenas 15 minutos”, explica a médica.

Pessoas em um show de música
Alguns cuidados durantes os shows ajudam a proteger a audição (Imagem: Aleksandar Kamasi | Shutterstock)

Dicas para proteger os ouvidos

Para prevenir lesões nos ouvidos, é recomendável adotar os seguintes cuidados durante os festivais:

1. Evite ficar perto do som

A primeira recomendação é evitar manter-se próximo a fontes sonoras de alta intensidade — como caixas de som — por longos períodos, sem fazer pausas. “Mesmo que a vontade de ver a banda ou cantor preferido seja alta, evite ficar ocupando lugar na grade por horas para ver o show de seu artista preferido. Essa exposição por longos períodos pode danificar as células ciliadas”, explica a Dra. Nathália Prudencio.

2. Utilize protetores auriculares

Profissionais ou aquelas pessoas que querem pegar lugar na grade e não podem, ou não querem, se afastar do som devem utilizar protetores auriculares. “O mercado oferece diversos produtos do tipo, inclusive opções projetadas para eventos, como plugs com filtros que preservam a qualidade do som, mesmo com a proteção”, explica a médica. Por outro lado, pessoas que utilizam aparelhos para perda auditiva ou zumbido, a Dra. Nathália Prudencio recomenda ajustá-los ou até retirá-los a fim de evitar a piora do quadro.

3. Descanse os ouvidos

Ao longo do evento, é recomendável fazer pausas em ambientes silenciosos, preferencialmente a cada uma hora, no máximo, para permitir que as estruturas do seu ouvido se recuperem adequadamente. Além disso, fique atento aos sinais, caso note alguma alteração auditiva incomum durante o festival, afaste-se do som.

Consulte um médico

A médica explica que, ao notar qualquer tipo de incômodo auditivo, é importante manter-se alerta e buscar o auxílio de um profissional. “Caso os sintomas persistam por mais de um dia, o ideal é procurar um otorrinolaringologista para avaliar a sua audição. Uma vez constatada a perda auditiva, uma estratégia de tratamento será montada para prevenir a piora do quadro e garantir a melhor adequação possível do paciente à condição”, expõe a Dra. Nathália Prudencio.

Por Maria Claudia Amoroso

Veja Também