Diário Logo

O Diário Logo

3 livros de ficção para aprender sobre política e sociedade

Os livros são uma jornada enriquecedora e uma valiosa fonte de ensinamentos de diversos tipos. Cada obra de ficção proporciona uma oportunidade única de vivenciar diferentes perspectivas, tempos e lugares, ampliando nossa compreensão do mundo e da natureza humana. Além disso, eles permitem aprender sobre temas complexos como política, democracia e sociedade de maneira lúdica […]

13 de junho de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

Os livros são uma jornada enriquecedora e uma valiosa fonte de ensinamentos de diversos tipos. Cada obra de ficção proporciona uma oportunidade única de vivenciar diferentes perspectivas, tempos e lugares, ampliando nossa compreensão do mundo e da natureza humana. Além disso, eles permitem aprender sobre temas complexos como política, democracia e sociedade de maneira lúdica e dinâmica.

Com histórias envolventes e personagens bem desenvolvidos, obras fictícias também podem explorar estas questões mais profundas e fazer refletir sobre poder, desigualdade e desinformação. Veja três opções para você expandir seu conhecimento!

1. O pai das fake news

Capa do livro O pai das fake news, o título está escrito em vermelho e branco em uma capa preta e na parte de baixo a representação de pessoas sendo lideradas.
‘O pai das fake news’ conta a história de um homem conhecido por ser o mago das campanhas políticas (Imagem: Reprodução digital | Lucens Editorial)

Depois da eleição de Donald Trump nos EUA e do Brexit na Europa, Benny T. S. desembarca em Vera Cruz para uma nova missão: eleger presidente um político até então insignificante para a população. Como poderia colocar uma liderança do baixo clero no topo do pódio de uma corrida eleitoral? Para ele, só tem um jeito: distorcer as informações. O pai das fake news, do escritor e cineasta Paulo Nascimento, é a história fictícia do homem considerado o mago das campanhas políticas. Ele é capaz de derrubar qualquer concorrente e sua maior arma é a manipulação.

Autor: Paulo Nascimento | Editora: Lucens Editorial.

2. O presidente morreu

Capa de um livro preta escrito o título O presidente morreu em branco e há a ilustração de uma peça do rei no xadrez caindo.
No livro ‘O presidente morreu’ acompanhamos Alberto, que é o braço direito de um governo ditatorial fictício (Imagem: Reprodução digital | Ases da Literatura)

Em uma sátira sobre excessos de poder e corrupção, o leitor acompanha Alberto, braço direito do líder de um governo ditatorial fictício. Após a morte do presidente, para não levantar suspeitas na população, o protagonista esconde o corpo no porta-malas de um carro, mas o cadáver desaparece misteriosamente. A partir desse incidente tragicômico, a narrativa do escritor Felipe de Caux explora temas de debate constante, como alienação política, diferenças de classe e desinformação.

Autor: Felipe de Caux | Editora: Ases da Literatura. 

3. O cidadão de bem

Capa do livro branca escrito o título em preto O cidadão de bem
‘O cidadão de bem’ apresenta um retrato da hipocrisia humana e a dualidade entre o bem e o mal. (Imagem: Reprodução digital | Qualis Editora)

Para o mundo, Dr. Roberto é um profissional sério e respeitado, mas em casa e nas redes sociais se manifesta como um defensor fervoroso do armamento civil, que não esconde o preconceito contra negros e homossexuais, além das atitudes elitistas. Resistindo a cidadãos como ele está Rafael, um jornalista que sonha se tornar escritor e que, mesmo tendo falhado com a família no passado, luta por um mundo mais pacífico e tolerante, não apenas para ele, mas principalmente para as filhas e as gerações futuras. Nesta obra ficcional, Mauricio Gomyde apresenta um retrato da hipocrisia humana e a dualidade entre o bem e o mal.

Autor: Mauricio Gomyde | Editora: Qualis Editora.

Veja Também