Diário Logo

O Diário Logo

5 dicas para começar a investir em previdência privada

A expectativa de vida da população brasileira segue aumentando. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população idosa no Brasil subiu de 11,3% em 2012 para 15,1% em 2022. Logo, há a necessidade de investir em cuidados para essa faixa etária, incluindo planejamento financeiro a médio e longo prazo. Com o déficit […]

28 de maio de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

A expectativa de vida da população brasileira segue aumentando. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população idosa no Brasil subiu de 11,3% em 2012 para 15,1% em 2022. Logo, há a necessidade de investir em cuidados para essa faixa etária, incluindo planejamento financeiro a médio e longo prazo. Com o déficit da Previdência Social representando 40% das despesas primárias públicas, todos, especialmente os jovens, devem considerar alternativas como a previdência privada.

Para ajudar na escolha do melhor plano de previdência privada, Denise Maidanchen, CEO da Quanta Previdência, instituição do setor de previdência complementar, traz algumas dicas que podem ajudar a tomar a melhor decisão para o seu futuro financeiro. Veja abaixo!

1. Estude sobre educação financeira

Entender as opções de investimentos e o cenário econômico é crucial para escolher a melhor previdência e manter uma vida financeira saudável. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apenas 35% dos brasileiros se consideram alfabetizados financeiramente. 

“Investir em educação financeira é fundamental para tomar decisões informadas e manter as finanças em dia, preparar-se para imprevistos e construir uma reserva financeira. Tudo isso já ajuda a ter uma vida financeira mais saudável, o que traz impactos no envelhecimento”, explica Denise Maidanchen.

2. Conheça o seu perfil de investidor 

Com conhecimento, fica mais fácil definir seu perfil financeiro e objetivos de curto, médio e longo prazo. Avalie quanto você pode destinar mensalmente para a aposentadoria e analise a liquidez das opções disponíveis.

“Evite escolher um plano apenas por recomendação do gerente. É crucial ter planos e metas claras para a vida financeira e para a aposentadoria. Pense no estilo de vida que você deseja manter, mesmo sabendo que planos podem mudar ao longo do tempo”, aconselha Denise Maidanchen.

Casal de idosos conversando e analisando papéis e computador com expressões pensativas
Na pesquisa por um plano previdenciário, considere buscar taxas menores e que tenham mais vantagens (Imagem: fizkes | Shutterstock)

3. Estude o máximo de alternativas disponíveis no mercado

Para escolher a melhor previdência privada, pesquise instituições financeiras e não se limite aos bancos, que oferecem muitas vezes produtos caros com rendimentos inferiores. Considere alternativas com taxas administrativas menores e isenção de taxa de carregamento, como as modalidades cooperativas.

4. Escolha o regime de tributação

Os planos de previdência privada são tributados no resgate ou recebimento da renda. A tributação regressiva é indicada para quem economizar a longo prazo, resultando em menos imposto a pagar. Já a tributação progressiva se destina a quem necessita dos recursos a curto prazo ou não tem um planejamento financeiro definido, com alíquotas que chegam a 27,5%.

5. Veja a possibilidade de estender o plano de previdência para outras pessoas da família

Além de preparar sua própria aposentadoria, considere incluir outros familiares no plano, como filhos, pais, irmãos, netos, sobrinhos e parceiros. Contribuir para o mesmo fundo pode garantir a saúde financeira de todos no futuro.

Essas dicas são essenciais quando se trata de garantir um planejamento financeiro sólido e um futuro mais seguro para você e seus familiares. 

Por Felipe Sá

Veja Também