Diário Logo

O Diário Logo

5 dicas para incluir pessoas com deficiência em empresas 

Uma sociedade equitativamente justa precisa de ações concretas que contemplem a diversidade e a inclusão de pessoas com deficiência (PCDs) em diferentes espaços, principalmente nas empresas. Para isso, é necessário ir além do cumprimento da Lei de Cotas. É importante que as organizações pensem em espaços e estruturas bem definidas dentro das equipes de trabalho […]

29 de maio de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

Uma sociedade equitativamente justa precisa de ações concretas que contemplem a diversidade e a inclusão de pessoas com deficiência (PCDs) em diferentes espaços, principalmente nas empresas. Para isso, é necessário ir além do cumprimento da Lei de Cotas.

É importante que as organizações pensem em espaços e estruturas bem definidas dentro das equipes de trabalho para garantir que esses profissionais estejam presentes desempenhando funções estratégicas e contribuindo para o contínuo desenvolvimento da companhia. 

“Cumprir a legislação é o mínimo. As organizações precisam quebrar preconceitos, romper com o capacitismo e transformar potenciais talentos em alta performance. A ideia é promover oportunidade e capacitação com foco na melhoria contínua para que indivíduos e organizações se destaquem e alcancem seus objetivos de maneira eficaz e eficiente”, afirma Djalma Scartezini, CEO da Rede Empresarial de Inclusão Social (REIS).

Conforme o relatório do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania de 2023, em todas as faixas etárias, as pessoas com deficiência apresentam menor taxa de participação na força de trabalho e de ocupação do que as pessoas sem deficiência. Diante disso, apresentamos cinco dicas essenciais para promover a inclusão efetiva de pessoas com deficiência no ambiente corporativo!

1. Políticas de inclusão 

As práticas de inclusão da empresa devem ser claras e todas as pessoas colaboradoras precisam ter conhecimento sobre elas. Além disso, é importante que a organização tenha um comitê dedicado para que essas políticas estejam em práticas e sempre que necessário sejam revisadas. 

Pessoas se cumprimentando no escritório de trabalho
O ideal é organizar ações que envolvam a equipe para conscientização sobre os diferentes tipos de deficiência (Imagem: Pressmaster | Shutterstock)

2. Conscientização das equipes

Organizar treinamentos, mentorias e workshops com a participação ativa de pessoas com deficiência pode ajudar os demais colaboradores a ter um entendimento mais empático e consciente sobre os diferentes tipos de deficiência, além de criar um ambiente mais acolhedor e respeitoso para a integração bem-sucedida de quem possui alguma deficiência.

3. Políticas de atração, seleção e retenção de talentos

É importante que as empresas tenham programas internos e bem estruturados para recrutamento, seleção e capacitação dos talentos com deficiência, para desenvolverem habilidades e construam carreiras na área de atuação. Da mesma forma, é bastante estratégico estabelecer programas de formação para atrair quem ainda está fora do mercado. 

4. Reforce a participação ativa

Para garantir o engajamento e o contínuo desenvolvimento de profissionais com deficiência é preciso envolvê-los em projetos e tomadas de decisões que contribuam para o aprimoramento das boas práticas da companhia. Além de valorizar suas competências e perspectivas, a inclusão favorece a inovação dentro da empresa. 

5. Adapte a estrutura física da empresa

E, por último e não menos importante, é obrigatório incluir estruturas que contribuam para a acessibilidade e atenda às necessidades de todas as pessoas que podem precisar do apoio de rampas de acesso, elevadores e banheiros acessíveis, além de adaptar estações de trabalho com recursos ergonômicos e ferramentas assistivas, como leitores de tela e softwares de reconhecimento de voz. 

Por Luciana Nunes

Veja Também