Diário Logo

O Diário Logo

6 dicas para escolher o tapete ideal para a sua casa

Belo, aconchegante e com diversas funções, o tapete é um item indispensável na decoração de qualquer casa. Além do conforto ao pisar, ele é um aliado na hora de delimitar ambientes e faz toda a diferença para o conforto térmico e acústico. Pensando nisso, as arquitetas Ieda e Carina Korman, à frente do escritório Korman […]

11 de junho de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

Belo, aconchegante e com diversas funções, o tapete é um item indispensável na decoração de qualquer casa. Além do conforto ao pisar, ele é um aliado na hora de delimitar ambientes e faz toda a diferença para o conforto térmico e acústico. Pensando nisso, as arquitetas Ieda e Carina Korman, à frente do escritório Korman Arquitetos, reuniram diversas dicas para ajudar na escolha do tapete correto para cada ambiente. Confira!

1. Escolha o tapete conforme a rotina da família

Segundo as arquitetas, os tapetes podem ser empregados em diversos ambientes, mas pedem por alguns cuidados. Eles podem ser neutros ou cheios de personalidade e devem ser escolhidos, costumeiramente, após a compra do mobiliário.

“Mas se o cliente já possuir uma peça que seja herança de família, por exemplo, o décor será feito pensado para ela”, explica Ieda Korman, que complementa: “um tapete deve ser escolhido de acordo com a rotina da família e com o ambiente que será colocado”.

Assim, uma casa com pet ou crianças, por exemplo, pede por uma peça mais resistente e fácil de limpar. Uma casa de praia, por outro lado, dispensa peças de lã ou mais peludas. “Nesse caso, o melhor é optar por fibras naturais, corda náutica ou algodão, por exemplo”, diz Ieda Korman.

2. Considere o tamanho do espaço

Para definir o melhor tamanho de um tapete, é necessário levar em conta os mobiliários no ambiente. “Em um living, o recomendável é que o tapete seja cerca de 15 ou 20 cm maior do que a área que delimita. Eles devem, ainda, se estender em 20 cm para dentro do sofá”, explica Carina Korman. As poltronas devem estar inteiramente sobre a área do tapete ou com, ao menos, metade de seu comprimento.

Em salas de jantar, por sua vez, Ieda e Carina Korman indicam que o tapete tenha ao menos 60 cm a mais do que o lado maior do tampo da mesa. “Assim, é garantido que, ao mover a cadeira, ela não se enroscará na peça”, explicam. Ainda assim, as medidas são variáveis de acordo com cada caso. “É importante se atentar e respeitar o desenho da peça, valorizando-a”, indica Ieda Korman.

Tapetes peludos são perfeitos para os quartos e home theaters (Imagem: gamespirit | Shutterstock)

3. Opte por tapetes que atendam às necessidades dos ambientes

Ambientes diferentes pedem por tapetes diferentes. De modo geral, espaços com muita movimentação devem receber peças de gramatura mais baixa, deixando os tapetes mais felpudos e robustos para os locais em que se passa mais tempo sentado, ou que pedem por aconchego. “Quartos e home theaters são perfeitos para os modelos peludos, mas cuidado com clientes que possuem alergia”, diz Ieda Korman.

“Amamos especificar tapetes que peguem toda a extensão da cama, mas, quando se trata de pessoas alérgicas, o melhor é optar por no máximo dois tapetes pequenos ao lado da cama, de fibra lavável”. Cozinhas dispensam tapetes, ao passo que banheiros podem receber peças pequenas à frente da bacia, pia e chuveiro, garantindo uma pisada confortável.

4. Combine a peça com o décor

Na hora de coordenar os tapetes com o décor, é possível pensar no padrão de estampas e cores em conjunto com as texturas e paletas do mobiliário. “Se o cliente já possui uma peça marcante ou optou por um desenho exclusivo e personalizado, o tapete será o ponto de partida. Mas, no geral, os tapetes são os últimos itens a serem definidos”, aponta Ieda Korman. Assim, é possível levar em conta a paleta de cores escolhida para todo o ambiente, buscando harmonia.

“Quando há o desejo por uma sobreposição de tapetes, que dão bossa aos projetos, o ideal é escolher uma peça mais neutra para a base, e ousar no tapete que vai por cima”, indica. Em alguns casos, os desenhos e padrões marcantes são como obras de arte no chão e funcionam como ponto de destaque. Para quem busca apenas o conforto da peça, as neutras são sempre as mais indicadas, sem risco de errar.

Sala de estar decorada com móveis de madeira e sofá marrom de couro
É importante que o tapete seja adequado ao clima da sua cidade (Imagem: Followtheflow | Shutterstock)

5. Escolha um tapete que se adapte ao clima da cidade

Escolher um tapete que se adapte ao clima é essencial para garantir conforto e funcionalidade na decoração da sua casa. Em regiões de clima frio, tapetes de materiais mais espessos, como lã, proporcionam uma camada extra de isolamento térmico, ajudando a manter o ambiente aquecido e aconchegante. Por outro lado, em áreas de clima quente, tapetes feitos de fibras naturais leves, como algodão, sisal ou juta, permitem uma melhor circulação de ar e evitam o acúmulo de calor, tornando o espaço mais agradável e fresco.

Além do conforto térmico, a escolha adequada do material pode influenciar na durabilidade e na manutenção, especialmente em ambientes com variações climáticas significativas. Tapetes que resistem à umidade são ideais para climas úmidos, enquanto materiais mais duráveis e fáceis de limpar são recomendados para áreas com alto tráfego e sujeitas a poeira ou sujeira.

6. Prefira materiais fáceis de limpar

Escolher tapetes fáceis de limpar é uma decisão prática e inteligente para qualquer ambiente doméstico. A facilidade de limpeza garante que ele mantenha uma aparência fresca e atrativa ao longo do tempo, mesmo em áreas de alto tráfego. Peças que são simples de limpar são ideais para famílias com crianças ou animais de estimação, pois são mais resistentes a manchas e sujeiras inevitáveis. Isso também reduz o tempo e o esforço dedicados à limpeza, permitindo que você aproveite mais o seu espaço sem preocupações constantes com a conservação.

Por Glaucia Ferreira e Redação EdiCase

Veja Também