Diário Logo

O Diário Logo

6 dicas para se proteger de golpes online no Dia das Mães

À medida que o Dia das Mães se aproxima, diversas pessoas recorrem às compras online para encontrar o melhor presente. No entanto, por trás da facilidade e do conforto oferecido pela internet estão os perigos de fraudes digitais. De acordo com um estudo realizado pela plataforma de compra e venda OLX, fraudes e golpes digitais […]

6 de maio de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

À medida que o Dia das Mães se aproxima, diversas pessoas recorrem às compras online para encontrar o melhor presente. No entanto, por trás da facilidade e do conforto oferecido pela internet estão os perigos de fraudes digitais. De acordo com um estudo realizado pela plataforma de compra e venda OLX, fraudes e golpes digitais geraram um prejuízo de mais de R$ 1 bilhão para os brasileiros somente em 2023.

Nesse contexto, Denis Riviello, head de cibersegurança da Compugraf, empresa de tecnologia focada em redes, segurança da informação e gerenciamento integrado de riscos, oferece dicas valiosas para garantir a segurança nas compras. Confira a seguir!

1. Pesquise a reputação da loja

Nesse momento, o senso de comunidade pode ser um aliado. Segundo Denis Riviello, existem sites de reclamações que podem auxiliar na identificação de marcas fraudulentas, pois reúnem um compilado de avaliações de outros consumidores que já compraram do mesmo lugar.

“É importante pesquisar a reputação da loja em páginas de reclamação, já que elas podem conter relatos de consumidores que foram vítimas de golpes ou fraudes online, além de informações sobre possíveis práticas enganosas. Também é recomendável buscar o histórico da empresa em outras páginas da internet. Com base nas informações coletadas, o consumidor pode escolher fazer negócios apenas com empresas que tenham uma boa reputação e um histórico positivo”, recomenda.

2. Identifique sinais de autenticidade

Sites fraudulentos, apesar de bem-feitos, podem ser identificados por meio de alguns detalhes, como observar se o URL começa com “https://” e possui um ícone de cadeado na barra de endereço, o que demonstra uma troca de informações segura entre o dispositivo e o servidor. Além disso, Denis Riviello alerta que sites legítimos possuem uma aba de “Contato” ou “Sobre Nós”.

3. Tome cuidado com as informações

O compartilhamento de informações pessoais na internet é arriscado e, apesar de muitos já saberem disso, há alguns hábitos de consumo online que podem colocar em risco esses dados, sem o usuário nem mesmo saber. “Nunca salvar o número do cartão nos dispositivos e/ou Browser, mesmo que seja confiável. Isso facilita muito o trabalho para os golpistas, caso eles consigam acesso a sua senha”, alerta.

Homem usando notebook em sala com estante de livros no fundo
É importante tomar cuidados com golpes que acontecem via e-mail (Imagem: fizkes | Shutterstock)

4. Golpes por e-mail também merecem atenção

Apesar dos golpes em sites falsos serem frequentes, outra ameaça que tem deixado muitos usuários assustados são aqueles por spam via e-mail. De acordo com um relatório feito pela Kaspersky, empresa russa de produção de softwares, o Brasil teve 134 milhões de tentativas de phishing entre 2022 e 2023. O especialista alerta que checar o domínio do e-mail é o primeiro passo, pois deve corresponder ao domínio do site oficial. 

5. Desconfie do que é muito atraente

Promoções muito surpreendentes, itens raros e de difícil acesso disponíveis com facilidade e em grandes quantidades são cenários que parecem tentadores, mas merecem atenção por outro motivo: “É fundamental desconfiar do que é muito tentador. Hoje, os phishings estão cada vez mais elaborados e bem-feitos. Ofertas muito atraentes podem ser uma estratégia para trazer vítimas para sites falsos ou lojas não confiáveis, onde os dados pessoais ou financeiros podem ser roubados”, alerta o especialista.

A engenharia social é uma prática de manipulação muito utilizada por golpistas, que se aproveitam de datas comemorativas e do desejo de economizar dinheiro e criam promoções falsas para atrair consumidores desavisados. 

“Esse tipo de isca pode levar para sites onde as informações de login, senha e detalhes financeiros são roubados. Essas informações podem ser usadas para acessar contas bancárias, de e-mail e outros dados pessoais”, complementa Denis Riviello.

6. Use antivírus e softwares de proteção

Hoje em dia existem extensões de navegadores que podem auxiliar na identificação de sites maliciosos. “As extensões são plugins que complementam as funcionalidades do navegador. Elas têm o intuito de bloquear anúncios em páginas da web, fazer anotações, verificar a ortografia e muito mais para garantir segurança. Vale a pena pesquisar sobre os plugins mais recomendados para o tipo de browser usado e instalá-los”, comenta Denis Riviello.

Por Juliana Oliveira

Veja Também