Diário Logo

O Diário Logo

8 mitos e verdades sobre suplementos alimentares

Os suplementos alimentares têm ganhado cada vez mais espaço na vida de quem busca melhorar a saúde e o desempenho físico. De atletas profissionais a pessoas que desejam manter uma rotina saudável, esses produtos, quando usados da maneira correta e recomendados por médicos, prometem fornecer nutrientes essenciais de maneira prática e eficaz. No entanto, ainda […]

11 de junho de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

Os suplementos alimentares têm ganhado cada vez mais espaço na vida de quem busca melhorar a saúde e o desempenho físico. De atletas profissionais a pessoas que desejam manter uma rotina saudável, esses produtos, quando usados da maneira correta e recomendados por médicos, prometem fornecer nutrientes essenciais de maneira prática e eficaz.

No entanto, ainda há muitas dúvidas e desinformação sobre o uso correto e os benefícios reais dos suplementos. Por isso, Marina Delorenzo, nutricionista da GO3, marca de suplementos alimentares, nutricionais e esportivos, esclarece alguns mitos e verdades sobre o assunto. Confira!

1. Suplementos são necessários apenas para pessoas que praticam atividade física regularmente?

Mito. Suplementos não são exclusivos para quem pratica exercício. Eles são indicados para qualquer pessoa que busca um estilo de vida saudável e longevidade. Por exemplo, o whey protein melhora o sistema imunológico e ajuda a controlar a glicemia. A creatina, por sua vez, ajuda a prevenir a perda de massa muscular e melhora a função cognitiva.

2. O uso de suplementos pode ser uma solução mais fácil do que fazer mudanças na dieta?

Mito. Mudanças no estilo de vida e uma alimentação natural são essenciais. Alimentos como vegetais, frutas, leguminosas, cereais, carnes e ovos são fundamentais. Os suplementos devem ser usados como complemento a uma dieta equilibrada, e não como substitutos de refeições. Eles ajudam a alcançar o consumo adequado de nutrientes, mas não devem substituir alimentos integrais. Além disso, é importante consultar um médico antes de inseri-los na rotina.

3. Suplementos pré-treino podem causar dependência ou têm efeitos colaterais negativos a longo prazo?

Mito. No entanto, algumas pessoas são sensíveis à cafeína, conhecidas como “metabolizadores lentos”, e podem ter insônia, aumento da ansiedade e irritabilidade.

Mulher tomando whey proten em copo na cozinha
Suplementos alimentares, como whey protein, pode ajudar no emagrecimento (Imagem: eldar nurkovic | Shutterstock)

4. Suplementos auxiliam na perda de peso?

Verdade. Os suplementos podem auxiliar na perda de peso. O uso de whey protein, por exemplo, aumenta a saciedade ao estimular a produção do hormônio GLP-1, reduz o esvaziamento gástrico e os picos de glicemia após as refeições.

5. Os suplementos substituem completamente uma dieta equilibrada?

Mito. Os suplementos complementam a dieta, aumentando o aporte de aminoácidos, vitaminas e minerais. Eles melhoram as funções endócrina, imunológica e cognitiva, mas não substituem a necessidade de uma alimentação balanceada.

6. O consumo de proteína em pó é necessário para o ganho de massa muscular?

Mito. Fontes alimentares proteicas, com uma alimentação balanceada, são necessárias para o ganho de massa muscular. Suplementos são um complemento, especialmente para vegetarianos, veganos ou pessoas com dificuldade em consumir proteínas suficientes.

7.  Mulheres grávidas devem evitar completamente o uso de suplementos?

Mito. Mulheres grávidas precisam aumentar o consumo de nutrientes, pois durante a gestação há uma maior demanda de proteínas, vitaminas e minerais para o desenvolvimento do bebê e a manutenção da saúde da mãe. A suplementação, com recomendação e acompanhamento médico, pode ser uma boa estratégia para suprir essas necessidades ao longo das diferentes fases da gestação.

8. Todos podem se beneficiar do uso de suplementos? 

Verdade. Todos podem se beneficiar, pois os suplementos vieram para aumentar a saúde, ou seja, ajudando a reduzir os riscos de doenças crônicas e aumentando a longevidade (viver mais e viver bem!). Mas lembre-se: consulte sempre um médico!

Por Camila Milani

Veja Também