Diário Logo

Notizia Logo

Veja como o frio pode influenciar a saúde do coração

O outono chegou e, com ele, as temperaturas mais frias, principalmente no final do dia. No entanto, a mudança no termômetro também pode impactar significativamente a saúde, principalmente de pacientes com doenças crônicas cardíacas e pulmonares. A variação inesperada de temperatura faz com que o corpo precise manter órgãos vitais funcionando, aumentando o gasto energético, […]

25 de março de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

O outono chegou e, com ele, as temperaturas mais frias, principalmente no final do dia. No entanto, a mudança no termômetro também pode impactar significativamente a saúde, principalmente de pacientes com doenças crônicas cardíacas e pulmonares.

A variação inesperada de temperatura faz com que o corpo precise manter órgãos vitais funcionando, aumentando o gasto energético, deixando-o mais vulnerável. As baixas temperaturas favorecem a disseminação de vírus e bactérias, as pessoas ficam mais confinadas e isso gera um aumento de doenças respiratórias como gripe, rinite, sinusite e pneumonias.

Quando a umidade do ar está baixa, ocorre ressecamento das vias aéreas, favorecendo ainda mais o aparecimento de descompensações respiratórias, principalmente em crianças e em portadores de doenças pulmonares crônicas.

Impactos do frio no sistema cardiovascular

Além dos danos às vias aéreas, o frio é o responsável por aumentar as doenças cardiovasculares. Segundo a Dra. Cristina Milagre, cardiologista e médica do esporte do Hcor, em temperaturas mais baixas, ocorre a vasoconstrição (estreitamento do diâmetro das artérias), que pode prejudicar o fluxo sanguíneo adequado de oxigênio ao coração.

“Esse desequilíbrio pode levar a quadros de angina do peito e até infarto do miocárdio”, afirma a médica. Isso acontece porque o coração precisa trabalhar mais para manter a temperatura interna do corpo em equilíbrio.

Mulher cardiologista examinando,  com estetoscópio, homem
Se o paciente apresentar qualquer sintoma, como dor no peito, é crucial levá-lo ao pronto-socorro (Imagem: Photoroyalty | Shutterstock)

Riscos e alertas durante o frio

De acordo com a Associação Americana do Coração, os quadros de arritmias, infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVCs) são os mais comuns no frio. “A pressão arterial tende a ser mais alta no frio por causa da vasoconstrição, e isso já acende uma luz de alerta. Pessoas portadoras de hipertensão arterial, insuficiência cardíaca (coração fraco e/ou dilatado), angina e aquelas que já sofreram infarto devem ficar ainda mais atentas e fazer o acompanhamento de maneira regular”, completa a Dra. Cristina Milagre.

Além disso, ao sinal de qualquer sintoma como dor no peito, formigamento no braço, falta de ar, palpitação e sudorese, o paciente deve ser levado diretamente ao pronto-socorro. Pesquisadores da London School descobriram que, em dias de inverno rigoroso, cada grau a menos de temperatura tem relação direta com 200 casos de infarto a mais.

Cuidados essenciais

Para que o corpo não sofra tanto com as mudanças de temperatura, é necessário adotar algumas medidas de proteção, como usar roupas do estilo cebola (roupas em camada) que podem ser retiradas e colocadas facilmente a depender do clima durante o dia. Ainda, é sempre importante manter uma rotina saudável, o uso regular das medicações, os exames de rotina em dia, assim como as consultas regulares com o cardiologista responsável.

Por Andressa Aricieri

Veja Também