Diário Logo

Notizia Logo

Sesc Mogi terá Fabiana Cozza e agenda para celebrar a vanguarda de Dona Ivone Lara

Nascida em abril de 1922, Dona Ivone Lara faleceu alguns dias depois de completar 96 anos em 2018. Três anos antes, ela mostrou a um público cativo e receptivo em Mogi das Cruzes porque é reconhecida por ter aberto caminhos para as mulheres no samba, ambiente que durante décadas foi território ocupado por homens. Dama […]

3 de abril de 2023

Reportagem de: O Diário

Nascida em abril de 1922, Dona Ivone Lara faleceu alguns dias depois de completar 96 anos em 2018. Três anos antes, ela mostrou a um público cativo e receptivo em Mogi das Cruzes porque é reconhecida por ter aberto caminhos para as mulheres no samba, ambiente que durante décadas foi território ocupado por homens.

Dama do Samba. Rainha do Samba. Femininista negra e outros títulos que reconhecem a história da enfermeira e assistente social nascida em berço de música, no Rio de Janeiro. Ela atravessou avenidas para deixar um legado às mulheres de hoje. Foi a primeira mulher a compor um samba-enredo e fazer parte da ala dos compositores da Império Serrano. É autora de grandes clássicos do samba.

O cententário de nascimento será celebrado com uma agenda especial pelo no Sesc Mogi das Cruzes com show, uma conversa sobre o pioneirismo no feminino negro exercido por Dona Ivone Lara, além de outros shows e oportunidades deconhecimento e reflexão sobre a vida e obra da artista.

A cidade teve a sorte de recebê-la em uma Virada Cultural, em 2013, três antes de a música perder uma de suas maiores cantoras. Em Mogi, naquele final de tarde, ela chegou ao palco amparada por familiares e auxiliares. Cantou sentada. A voz inconfundível. O que é a idade para um fenômeno? Ela entregou um show inesquecível em uma estrutura montada em frente à Universidade de Mogi das Cruzes, no Centro Cívico – a Virada Cultural já teve grandes momentos na cidade e aquele foi um deles.

Agora, na semana que vem, a homenagem preparada pelo Sesc inclui Mogi das Cruzes de maneira muito especial – além de um show, curso, apresentações e uma roda de conversa sobre o pioneirismo do feminino negro de Dona Ivone Lara está programada. Os eventos são gratuitos.

No dia 13 de abril, no mesmo dia do aniversário de 101 anos de nascimento de compositora carioca, a artista Fabiana Cozza  apresenta repertório do disco Canto da Noite na Boca do Vento, inspirado no verso do clássico Sonho Meu, de Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho, seu parceiro mais constante.

Fabiana Cozza é uma cantora do hoje que dividiu memórias, palco e estúdios com Dona Ivone Lara.

Jornalista e mestra em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), ela ancora carreira reconhecida e composta por oito discos lançados, entre eles “Canto da Noite na Boca do Vento”, de 2019, dedicado à obra de Dona Ivone Lara (Cozza já esteve no Sesc de Mogi)

Ela estará no palco mogiano ao lado de Douglas Alonso (bateria e percussão), Henrique Araújo (direção musical e cavaquinho) e João Camarero (violão 6 e 7 cordas).

Vanguarda 

No dia seguinte, outra agenda promete ir mais fundo na reverência à mulher que transpôs fronteiras e passou a ser ainda mais conhecida e pesquisada nos últimos tempos com o surgimento de uma leva de compositoras, cantoras e instrumentistas no samba.

De acordo com o Sesc Mogi, o evento “Ancestralidade e Vanguarda – o pioneirismo feminino negro de Dona Ivone Lara” irá abordar a construção da carreira que se tornou enraizou na cultura da música e do samba.

O encontro entre a cantora Fabiana Cozza, a jornalista Maitê Freitas e Kelly Adriano de Oliveira, gerente do Sesc da Vila Mariana, irá abordar dois aspectos da história de Dona Ivone Lara: “a ancestralidade a partir das influências dos antepassados da compositora em sua formação musical, cultural e espiritual, e o pioneirismo da artista que quebrou uma série de barreiras ao ocupar lugares até então proibidos para mulheres”. 

Fabiana Cozza estará novamente na atividade, ao lado de Maitê Freitas, jornalista, atriz, poetisa, pesquisadora, produtora cultural e idealizadora e coordenadora do projeto Samba Sampa, criado em 2012 com o objetivo de disseminar, refletir e reunir um acervo vivo do samba.

Já Kelly Adriano de Oliveira é doutora em Ciências Sociais, educadora, ativista antirracista, curadora e gestora cultural. Atualmente é Gerente do Sesc Vila Mariana.

Vivência

Com o convite irrecusável: “Quando eu Nasci tava todo mundo sambando, então eu resolvi a sambar”, surge a chamada para rodas de conversa, jogos teatrais e literários, cantorias e poesias em um curso que propõe a criação coletiva da intervenção lítero-musical “Se o caminho é meu, deixa eu caminhar”. O curso terá à frente o cantor e compositor Xavier Filho, morador e carnavalesco da Vila Industrial e o Coletivo Teatral Trupe Trio formado por Daniel Pereira, Salvani Moreno. A trinca atua com peças teatrais infantojuvenis, mediação de leitura e brincadeiras de matrizes africanas.

Xavier Filho compôs seu primeiro samba-enredo aos 15 anos. Participou de bandas como Sambacana e Arte Pura, além de uma coletânea figurando ao lado de nomes como Zeca Pagodinho, Eliana de Lima, Wilson Moreira e Borba.

O curso será nos dias 13 e 14/4 e 20 e 21/4, Quintas e Sextas, das 14h às 16h

Galpão e CEA [Centro de Educação Ambiental]

Intervenção: Dia 22/4, Sábado, das 15h às 16h

60 + | Grátis | Inscrições antecipadas na Loja Sesc (15 vagas).

Confira as datas de em torno do centenário de Dona Ivone Lara no  Sesc Mogi das Cruzes

O Canto da Noite na Boca do Vento, com Fabiana Cozza

Dia 13/4, Quinta, das 20h às 21h15

Tenda | Livre | Grátis, sem retirada de ingressos

Ancestralidade e Vanguarda – o pioneirismo feminino negro de Dona Ivone Lara”

Bate-papo com Fabiana Cozza, Maitê Freitas e mediação de Kelly Adriano de Oliveira.

Dia 14/4, Sexta,  das 20h às 21h30

Tenda | Livre | Grátis | Tradução Simultânea em LIBRAS com a EducaLIBRAS

Saiba mais no Sesc Mogi das Cruzes

 

 

Veja Também