Diário Logo

O Diário Logo

Finlândia confisca 21 iates enquanto investiga ligações com magnatas russos

A Finlândia assumiu a custódia legal de 21 iates enquanto investiga se seus proprietários são alvo de sanções impostas após o ataque da Rússia à Ucrânia. Na semana passada, a Direção Geral da Marinha Mercante da Espanha anunciou a apreensão de três mega iates suspeitos de serem de bilionários russos. Dias antes, a polícia italiana […]

23 de março de 2022

Reportagem de: O Diário

A Finlândia assumiu a custódia legal de 21 iates enquanto investiga se seus proprietários são alvo de sanções impostas após o ataque da Rússia à Ucrânia. Na semana passada, a Direção Geral da Marinha Mercante da Espanha anunciou a apreensão de três mega iates suspeitos de serem de bilionários russos.

Dias antes, a polícia italiana apreendeu um super iate do bilionário russo Andrey Igorevich Melnichenko, um dos empresários que se tornou alvo de sanções econômicas impostas pela União Europeia.

Os barcos de luxo estão confinados por conta do inverno – já que o mar está congelado – e não poderão ser transferidos enquanto a alfândega finlandesa investiga quem são seus proprietários de fato, disse Sami Rakshit, chefe do departamento de fiscalização nesta quarta-feira. 

Em todo o mundo, e especialmente na Europa, os iates de bilionários russos estão sob escrutínio enquanto governos e organizações montam uma campanha de sanções contra o país por sua invasão à Ucrânia. 

Há pouco risco de os barcos apreendidos na Finlândia ficarem fora de alcance, pois o mar permanece congelado ao longo da costa do país nórdico.

Os barcos serão retidos pelo tempo necessário para concluir a investigação e, se forem estabelecidas ligações com indivíduos que foram alvo de sanções, os casos serão assumidos pela Autoridade Nacional de Execução da Finlândia, disse Rakshit.

— Não assumimos que todos os iates detidos estejam sujeitos a sanções, mas é isso que estamos tentando averiguar agora. 

Alguns dos proprietários registrados nas embarcações têm ligações com paraísos fiscais, acrescentou

Veja Também