Diário Logo

Notizia Logo

Câmara de Mogi institui a Semana do Empreendedorismo e Tecnologia

Foi aprovado pelos vereadores em sessão realizada na tarde desta terça-feira (15), na Câmara de Mogi, o projeto de lei que cria a Semana do Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação no município, evento a ser realizado anualmente na segunda semana de novembro. O autor da propositura, vereador Johnross Jones de Lima (PODE), alega que no Brasil […]

16 de agosto de 2023

Reportagem de: O Diário

Foi aprovado pelos vereadores em sessão realizada na tarde desta terça-feira (15), na Câmara de Mogi, o projeto de lei que cria a Semana do Empreendedorismo, Tecnologia e Inovação no município, evento a ser realizado anualmente na segunda semana de novembro.

O autor da propositura, vereador Johnross Jones de Lima (PODE), alega que no Brasil são mais de 15,5 milhões de micro e pequenos empreendedores fazendo a economia girar, gerando renda, emprego e riqueza, responsáveis por quase 30% das riquezas do País.

Com a instituição da semana, a intenção é evidenciar e reforçar a vocação empreendedora do município, especialmente aquela decorrente do ecossistema de tecnologia e inovação, além de valorizar as empresas que fomentam a economia do município, distribuem renda e geram inclusão social.

Johnross acrescenta ainda outros objetivos do Semana de Empreendedorismo, como o de incentivar ao trabalho desenvolvido pelas instituições de ensino, religiosas e sociais na formação do cidadão e sua vivência em sociedade, ressaltar a importância da livre iniciativa de profissionais autônomos, oportunizar à comunidade mogiana o acesso a noções de empreendedorismo, além de estimular o surgimento de novas empresas e novos empreendedores;

No texto do projeto, ele destaca a possibilidade de realização de ações que promovam, incentivem e valorizem a difusão do espírito empreendedor, capacitem e atualizem a comunidade em geral.

O estímulo ao empreendedorismo, na avaliação dele, pode ajudar a melhorar as condições de vida de famílias carentes da cidade, com quase 450 mil habitantes, que, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Assistência Social, hoje tem um quinto da população em situação de pobreza ou extrema pobreza, sobrevivendo com apenas R$ 100 por mês.  

“A resposta mais imediata são programas sociais, mas o mais importante é que essas pessoas tenham a oportunidade de levar o pão para sua casa não através de doação, mas pelo próprio trabalho. Essa lei é importante porque o empreendedorismo é capaz de resolver a pobreza através da união e geração de emprego e renda”, analisou o autor da propositura.

Para se tornar lei e ser incluída no calendário oficial do município, o projeto ainda precisa ser enviado para a sanção do prefeito Caio Cunha (PODE).

Veja Também