Diário Logo

O Diário Logo

Deputados dizem que precisa ser feito para desenvolver o turismo na região

O Alto Tietê possui um grande potencial turístico, mas são poucas as localidades que exploram adequadamente o setor. Isso significa perda de oportunidades para se atrair pessoas e divisas para as cidades da região, cujas prefeituras, com raras exceções, se mostram muito dependentes de ajuda externa e de iniciativas que possam transformar o turismo numa […]

24 de junho de 2023

Reportagem de: O Diário

O Alto Tietê possui um grande potencial turístico, mas são poucas as localidades que exploram adequadamente o setor. Isso significa perda de oportunidades para se atrair pessoas e divisas para as cidades da região, cujas prefeituras, com raras exceções, se mostram muito dependentes de ajuda externa e de iniciativas que possam transformar o turismo numa importante fonte de renda. Além de festas tradicionais, antigas igrejas e construções seculares, o Alto Tietê é pródigo em atrações ainda não exploradas adequadamente, como represas, barragens, parques e até o setor agrícola que poderia se transformar em atrativo para o turismo rural de finais de semana. Diante desse quadro, O Diário questionou os deputados da região sobre o tema:

Marcio Alvino
Deputado Federal do PL

Contribuí com recursos para a infraestrutura turística de Sabaúna, em Mogi, e para a Arena Suzano, impulsionando o turismo esportivo. Além disso, apoiei investimentos na infraestrutura básica das cidades para atender às suas necessidades.

Os governos estadual e federal têm programas de incentivo ao turismo, mas os municípios devem garantir infraestrutura e cumprir os requisitos legais para desenvolver a atividade.

Nossa região possui características únicas, como Arujá com o maior clube nikkei da América Latina; Biritiba Mirim, com a Pedra do Sapo; Guararema com os atrativos naturais e histórico-culturais; Itaquaquecetuba, com o Parque Ecológico Mário do Canto; Mogi com o Pico do Urubu; Poá e a Fonte Áurea; Salesópolis com a Nascente do Rio Tietê; Santa Isabel e suas dezenas de cachoeiras; e Suzano com o Parque Max Feffer.  É essencial que os municípios se planejem, se organizem e promovam o turismo local para, posteriormente, trabalharem na regionalização do setor no Alto Tietê.

 

 

Rodrigo Gambale
Deputado Federal do Podemos

Como deputado, podemos ajudar com projetos, recursos e articulações com prefeitos, gestores de turismo dos municípios que formam o Condemat e a Secretaria do Estado. Sabemos que o turismo é um dos principais fatores de desenvolvimento da nossa região. Os governos federal e estadual não só podem, como devem planejar, fomentar, regulamentar, coordenar e fiscalizar as atividades realizadas, promover e divulgar o turismo em âmbito nacional e até internacional. A melhor política pública que existe é gerar empregos. Para isso, é preciso ser um facilitador de agendas positivas para que os industriais, investidores e comerciantes tenham vontade de atuar na região. 

Nosso trabalho sempre buscará fiscalizar e acompanhar os projetos desenvolvidos, trazendo articulações federais, estaduais e representantes regionais para que possamos ajudar o Alto Tietê. Entre os obstáculos, um deles é falta de infraestrutura das cidades. Precisamos reverter esse quadro para fazer o turismo regional fortíssimo.

 

Marcos Damásio
Deputado Estadual do PL 

Sou um defensor do turismo em Mogi e no Alto Tietê, por entender que este setor gera emprego e renda e traz desenvolvimento. Tanto que sou autor do projeto que classifica Mogi como ‘Município de Interesse Turístico (MIT)’, o que permite à cidade receber verba anualmente para projetos no setor. Concordo que há muito potencial em toda a região – belezas naturais, prédios seculares, represas, parques de lazer, festas tradicionais e a vasta zona rural – que pode ser explorado. Criar essa estrutura não é simples, reconheço, exige esforço político de todas as esferas e recursos, mas é possível. Como deputado estadual, procuro aproximar os municípios dos programas estaduais existentes na área e articular demandas específicas com as secretarias estaduais. A união dos prefeitos (Condemat) e dos deputados estaduais e federais por esta causa poderia surtir bons resultados na captação de recursos para projetos previamente definidos, tanto no ambiente público quanto no privado.

 

Marco Bertaiolli
Deputado Estadual do PSD

As cidades do Alto Tietê possuem características turísticas diferenciadas, que precisam ser potencializadas dentro das suas especificidades. Vale ressaltar que 10% do total de empregos gerados, no Brasil, são oriundos do segmento, que também promove a geração de renda para a população, fortalecendo a economia local.

Para que se estabeleça um programa diversificado é preciso que cada município identifique a sua vocação, que pode ser desde o turismo de um dia, como o de hospedagem, o rural, de aventura e até mesmo o náutico em razão das represas que existem na região. 

É fundamental que se estabeleçam parcerias com as agências de turismo para que incluam os municípios em seus roteiros e com os governos do Estado e Federal para o desenvolvimento de projetos que fomentem programas de incentivo e preservação. 

Como deputado, estou à disposição das prefeituras para intermediar e integrar esses processos, tanto no governo do Estado, como no Ministério do Turismo, em Brasília.

 

André do Prado
Deputado Estadual do PL

O Alto Tietê tem grande potencial turístico. Prova disso é que a região conta com Salesópolis, como estância turística, Guararema, Santa Isabel, Mogi das Cruzes e Poá classificadas como Municípios de Interesse Turístico (MIT). Isso demonstra que o Alto Tietê tem uma vocação para o turismo, que é uma área importante que gera empregos e renda para as cidades.

Na Assembleia Legislativa, aprovamos a lei que cria o MIT, que permite o governo do Estado destinar, aproximadamente, R$ 600 mil por ano para que possa investir em melhorias em infraestrutura turística, pontos de visitação e outros. Isso foi um marco importante e tive o privilégio de participar desta iniciativa. 

Acredito muito no turismo e nas oportunidades que o setor pode gerar. Os municípios devem estruturar seus pontos de visitação e podem atuar em conjunto, através do Condemat, na divulgação de seus calendários de festas e ações para divulgar e atrair o público de outras regiões do Estado.

 

Veja Também