Diário Logo

O Diário Logo

Festa do Divino de Mogi poderá se tornar Patrimônio Imaterial do Brasil

O deputado federal Marco Bertaiolli (PSD-SP) disse, na Catedral de Santana, no último final de semana, que está sendo preparada a documentação e um inventário com publicações e outras informações sobre a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, a serem entregues ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) juntamente com […]

23 de maio de 2023

Reportagem de: O Diário

O deputado federal Marco Bertaiolli (PSD-SP) disse, na Catedral de Santana, no último final de semana, que está sendo preparada a documentação e um inventário com publicações e outras informações sobre a Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes, a serem entregues ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) juntamente com o pedido para a que o evento folclórico-religioso da cidade passe a ser reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil.

Além de garantir maior visibilidade ao evento, tal conquista também poderá refletir em mais apoio cultural e financeiro por meio do Ministério da Cultura e do próprio governo estadual de São Paulo.

Ao anunciar as medidas tomadas em conjunto pelo seu escritório e a Diocese de Mogi, Bertaiolli ressaltou o fato de a Festa do Divino da cidade ser um dos mais antigos e importantes eventos do gênero do Brasil e que, por isso mesmo, “precisa ser sempre divulgado, valorizado e destacado”.

O deputado então anunciou que, em breve, o Iphan estará recebendo o material que está sendo preparado por seus assessores, com a devida anuência e participação do bispo diocesano, dom Pedro Luiz Stringhini.

“Em seguida, iremos ingressar no Iphan com o pedido de reconhecimento e catalogação do evento como Patrimônio Histórico, Cultural e Imaterial do Brasi”,garantiu.

Atualmente, segundo o Iphan, apenas cinco eventos de diferentes estados brasileiros conseguiram tal reconhecimento: a Roda de Capoeira, originária do período da escravatura; o Frevo, expressão artística do Carnaval do Recife; Samba de Roda, evento do Recôncavo Baiano, conhecida expressão musical, coreográfica, poética e festiva de uma das mais importantes culturas do País; Círio de Nazaré, celebração religiosa de Belém do Pará, que promove uma das maiores procissões de todo o mundo; e, por fim, a Arte Kusiwa, representada pela pintura corporal e arte gráfica dos povos indígenas Wajãpi, do Amapá, onde cerca de mil índios vivem espalhados por 48 aldeias localizadas no interior do Estado.

A Festa do Divino de Mogi poderá ser o sexto evento reconhecido pelo Iphan.

Segundo o Iphan, os bens culturais de natureza imaterial “dizem respeito às práticas e domínios  da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer, celebrações, formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas, em lugares como mercados, feitas e santuários que abrigam práticas culturais coletivas”.

A Constituição Federal de 1988, em seus artigos 215 e 216, ampliou a noção de patrimônio cultural ao reconhecer a existência de bens culturais de natureza material e imaterial, diz o Iphan. 

O patrimônio imaterial é, garante o Iphan, transmitido de geração a geração, constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana.  

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) define como patrimônio imaterial “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos os indivíduos, reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural.”

Detalhe: o Departamento de Patrimônio Imaterial (DPI) do Iphan zela pela salvaguarda dos saberes, das celebrações, das formas de expressão e lugares portadores de referência à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira.

Desta forma, é o DPI que propõe diretrizes e critérios para o cumprimento da sua missão e, em conjunto com as superintendências estaduais do Iphan, gerencia programas, projetos e ações nas áreas de identificação, de registro, acompanhamento e valorização do Patrimônio Cultural Brasileiro de natureza imaterial. 

Novo comando

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) está sob nova direção, em Mogi das Cruzes.

A escola Senai Nami Jafet, localizada na rua Dom Antonio Cândido de Alvarenga, na área central da cidade, tem como diretor William Diógenes Batista e como coordenador, João Rodrigues Neto.

A dupla chega com o pé direito: numa reunião, no último final de semana, foi acertada a participação da entidade em novos cursos do Instituto Fundação Anna de Moura, localizado na Vila Brasileira, que oferece ensino profissionalizante a crianças e jovens daquela região da cidade.

“Canto & Sabor”

O padre cantor Alessandro Campos lembrou o grande compositor caipira, João Pacífico, ao participar, no último domingo, do programa “Canto & Sabor do Brasil”, da TV Brasil.

Ao lado do apresentador Paulinho Del Ribeiro, ele cantou sucessos como “Cabocla Tereza” e outros.

Juntos, eles lembraram que Pacífico morou durante muito tempo em Guararema, na região de Mogi das Cruzes, onde faleceu, em 30 de dezembro de 1998, aos 89 anos, após escrever algumas das mais belas páginas do cancioneiro rural brasileiro.

Padre Alessandro contou que seu pai, José Cardoso de Campos Filho, também está sepultado na cidade de Guararema, a exemplo do compositor.

Não era bem assim…

Nos meios políticos de Brasília já surgem rumores sobre uma suposta insatisfação de Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL, que garante mundos e fundos para Jair Bolsonaro, com verbas do partido, sem receber nada em troca até agora. Valdemar gostaria, segundo colunistas do Distrito Federal, de já estar viajando pelo País, ao lado do ex-presidente da República buscando novos filiados e definindo candidatos a prefeito e vereador pelo PL.

Mas não é o que acontece.

“Bolsonaro ficou três meses fora do país. De volta, precisa prestar depoimento, cuidar de defesa em múltiplos processos e gastar energia com tudo, menos em fortalecer o PL. Até agora, não fez nada que Valdemar havia planejado”, afirma o colunista Nonato Viegas, do site O Bastidor.

Previdência…

O Brasil, que registra o maior índice de mortalidade dos agentes da Segurança Pública, o quais, além da letalidade, lidam ainda com insalubridade e risco na linha de frente contra o crime, e com direito a altos índices de adoecimento e os menores índices de expectativa de vida, é onde os policiais têm a pior Previdência Social da América Latina e do mundo.

É o que revela um estudo inédito da Associação dos Delegados de Polícia (Adepol) do Brasil, a partir da Emenda Constitucional nº 103/2019, que impôs uma série de alterações na reserva financeira. 

… de policial

O levantamento compara a Previdência dos policiais brasileiros com a dos agentes dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, entre outros países, bem como com a de vizinhos da América do Sul, como Chile e Argentina, conforme detalha o presidente da Adepol do Brasil, o delegado Rodolfo Queiroz Laterza.

“Este estudo aponta, com dados factuais e empíricos, como a Reforma da Previdência, do ponto de vista comparativo com outros países, é um retrocesso vergonhoso e humilhante para o Brasil, tendo em vista que, países com indicadores de mortalidade muito menores têm regras previdenciárias muito mais justas para os policiais”, afirma o presidente.

Verbas para entidades

A Vara do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Mogi das Cruzes destinou, no último final de semana, mais de R$ 287 mil, provenientes de prestações pecuniárias para entidades públicas e privadas de assistência social do município de Mogi e Biritiba Mirim.

Parte desse valor, cerca de R$ 20 mil, foi enviada à Vara Criminal da Comarca de São Sebastião, no litoral Norte, para utilização em favor das vítimas de deslizamentos e alagamentos que atingiram aquela região, no início deste ano.

A decisão foi do juiz Thiago Massao Cortizo Teraoka e cumpre determinação da Corregedoria Geral da Justiça  

Penas pecuniárias

Penas pecuniárias são alternativas às penas privativas de liberdade e podem ser aplicadas em determinadas hipóteses previstas em lei – a depender da pena e da natureza do crime.

Nesses casos, o juiz aplica a pena alternativa e fixa o valor, que é destinado a entidades cadastradas e que têm finalidade social.

A prestação pecuniária também pode ser fixada na transação penal, na suspensão condicional do processo e no acordo de não persecução penal.

As informações são do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

“Venerável”

Passou por Mogi das Cruzes, no início de sua vida religiosa, a carmelita brasileira, madre Tereza Margarida do Coração de Maria, que foi declarada venerável pela Santa Sé, no último sábado (20). A declaração é o primeiro passo no caminho para a santificação.

O dicastério para a Causa dos Santos promulgou decreto de reconhecimento das “virtudes heróicas de madre Tereza, após autorização do papa Francisco.

A religiosa nasceu em 24 de dezembro de 1915, em Borda da Mata, no estado de Minas Gerais. Foi batizada como Maria Luíza. Sua família logo se mudou para Cruzeiro, no Vale do Paraíba..

Primeiro chamado

Foi durante uma visita a Aparecida que ela teria sentido um “chamado” para se dedicar mais profundamente à religião. E foi então que ela decidiu entrar para o Carmelo de Mogi das Cruzes, em 29 de maio de 1937.

Quando recebeu o hábito de noviça, adotou o nome de Tereza Margarida do Coração de Maria. O processo para sua beatificação revela que “a vida no Carmelo de Mogi era caracterizada por grande rigor, penitência, silêncio e trabalho”.

Ela ficou por aqui até 1952, quando a comunidade se transferiu para um novo Carmelo construído em Aparecida.

Falecimento

Antes de falecer, em 14 de novembro de 2005, ela fundou, junto com outras sete religiosas, o Carmelo de Três Pontas, em Minas.

E devido à sua fama de santidade e de graças alcançadas por meio de sua intercessão, o bispo de Diamantina, dom Diamantino Prata de Carvalho, fez o pedido para a abertura do processo de beatificação da religiosa.

O processo foi aberto em março de 2012, e o seu reconhecimento como “venerável” é um passo importante nessa direção.

Veja Também