Diário Logo

Notizia Logo

Gondim conversa sobre alianças e candidaturas com o PT e PV

O ex-deputado estadual e médico Luiz Carlos Gondim Teixeira (União Brasil) disse à coluna, nesta quarta-feira (16), que está conversando com os presidentes do PT e do PV, o pré-candidato a prefeito Rodrigo Valverde e o ambientalista Romildo Campello, respectivamente, sobre possíveis alianças políticas e candidaturas relacionadas às próximas eleições municipais. Prestes a deixar o […]

17 de agosto de 2023

Reportagem de: O Diário

O ex-deputado estadual e médico Luiz Carlos Gondim Teixeira (União Brasil) disse à coluna, nesta quarta-feira (16), que está conversando com os presidentes do PT e do PV, o pré-candidato a prefeito Rodrigo Valverde e o ambientalista Romildo Campello, respectivamente, sobre possíveis alianças políticas e candidaturas relacionadas às próximas eleições municipais.

Prestes a deixar o União Brasil, a caminho do PDT ou PV, Gondim falou sobre os entendimentos que caminham para um acordo onde uma pesquisa de opinião, a ser realizada mais adiante, definirá entre ele e Valverde, quem será o candidato a prefeito do grupo.

Segundo Gondim, quando a escolha recair sobre um dos nomes, o outro poderá concorrer como vice ou a vereador, algo que ainda será objeto de um novo debate, a ser realizado futuramente.

“As discussões estão ocorrendo aos poucos”, disse o ex-deputado, explicando que tais entendimentos envolvem outros partidos que terão de se agrupar em torno da candidatura que vier a ser definida.

Gondim garante que, de sua parte, aceitará ser candidato a vice-prefeito ou a vereador, caso a pesquisa não o indique como o favorito para concorrer à Prefeitura de Mogi.

Alguns fatos envolvendo nomes de peso da política, entretanto, fazem com que o veterano político olhe com muito otimismo o quadro que começa a se configurar na cidade em relação às próximas eleições municipais.

Ele avalia, por exemplo, a chance de o PL vir a lançar o presidente do Clube de Campo, João Bosco Camargo de Sousa, para prefeito. Tal fato poderia fazer com que o PL de Valdemar Costa Neto e o PSD, de Marco Bertaiolli, saíssem com candidatos próprios.

Outro fator que ele considera muito positivo para os virtuais candidatos à Prefeitura é a possível indicação de Marco Bertaiolli para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, que o levaria a se afastar por completo da campanha para a sucessão municipal, em Mogi.

“Se realmente for para o Tribunal, Bertaiolli não poderá fazer campanha e terá de ficar quietinho, na dele. Membro do TCE não pode fazer campanha  e isso modifica muito o espaço de cada um na disputa, inclusive da esposa de Bertaiolli, caso venha a ser candidata”, diz Gondim, que conclui:

“Todo mundo fica observando. Por um lado, é bom para ele (Bertaiolli), mas será bom também para a gente”.

Pedágio – Gondim Teixeira também vê grande influência dos pedágios nas próximas eleições, em Mogi.

Mesmo se posicionando “radicalmente contrário” à cobrança pelo uso das estradas Mogi-Dutra e Mogi-Bertioga pelo governo do Estado, o ex-deputado tem ouvido, nos meios políticos da Capital, que a implantação dos pedágios será inevitável, “vai sair de qualquer jeito”, diz ele.

“E os políticos governistas irão ficar fritos por conta disso.

Especialmente os do PL e PSD, principais aliados do governador Tarcísio de Freitas, sobre quem deverá recair a decepção das pessoas quando tiverem que pagar para usar as estradas, por onde sempre circularam gratuitamente”, diz Gondim, lembrando que as duas estradas foram construídas pelo município.

“Duas loucuras do Waldemar (Costa Filho, ex-prefeito) e do Jamil (Hallage, seu auxiliar) para as quais batemos palmas e agradecemos”, e que, também por isso, não deveriam ser taxadas com pedágios pelo atual governador Tarcísio de Freitas, garante ele.

 

 

Veja Também