Diário Logo

O Diário Logo

Irmãs são condenadas por maus-tratos a bebês; elas foram presas em Mogi e Itaquá

A Justiça de São Paulo condenou Fernanda Carolina Rossi Serme e Roberta  Regina Rossi Serme Coutinho da Silva por maus-tratos denunciados em vídeo com imagens de crianças que eram mantidas amarradas e em locais como o banheiro da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, localizada na Vila Formosa, em São Paulo. As duas irmãs foram presas […]

27 de fevereiro de 2023

Reportagem de: O Diário

A Justiça de São Paulo condenou Fernanda Carolina Rossi Serme e Roberta  Regina Rossi Serme Coutinho da Silva por maus-tratos denunciados em vídeo com imagens de crianças que eram mantidas amarradas e em locais como o banheiro da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, localizada na Vila Formosa, em São Paulo. As duas irmãs foram presas em Itaquaquecetuba e em Mogi das Cruzes no início do ano passado. Cabe recurso à sentença.

O crime teve grande comoção após a divulgação de vídeos de crianças amarradas por lençóis e deixadas em um banheiro como uma espécie de castigo por chorarem ou se recusarem a comer.

As duas foram condenadas por tortura e maus-tratos, e absolvidas das acusações de associação criminosa e por colocar os alunos em perigo de vida.

A proprietária da escola, Roberta Regina Rossi Serme Coutinho da Silva foi condenada a uma pena de 49 anos, 9 meses e 10 dias de prisão em regime inicial fechado; além de 1 ano e 4 meses de detenção em regime semiaberto.

A coordenadora, professora e sócia da escola, Fernanda Serme, teve uma pena menor: 13 anos e 4 meses de detenção em regime inicial semiaberto.

Relembre o caso acompanhado por reportagens de O Diário, no ano passado.

A Justiça também condenou Solange Hernandez, funcionária da escola, que respondia ao crime em liberdade. A condenação dela foi de 31 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão, em regime inicial fechado, e 8 meses de detenção em regime semiaberto.

Em todos os casos, os advogados deverão recorrer da decisão.

Roberta se apresentou à Polícia em uma Delegacia de Itaquaquecetuba, pouco tempo depois da prisão da irmã Fernanda. A detenção ocorreu em uma cada do Alto do Ipiranga, em Mogi das Cruzes, após investigações policiais.

No boletim de ocorrência sobre o cumprimento da prisão preventiva de Fernanda em Mogi das Cruzes o endereço da professora era de uma casa n a rua Guido Razzé, um local onde, segundo disse o advogado de defesa, André Dias, a O Diário, à época, policiais já haviam ido durante 7 vezes, antes de a juíza Gabriela Bertolli expedir mandado de prisão, busca e apreensão.

Fernanda foi detida e encaminhada para o presídio de Tremembé. Pouco mais de 48 horas depois, Roberta Regina se entregou na Delegacia Central de Itaquaquecetuba.

A denúncia

As condições e o tratamento dado às crianças da escola particular chocaram e mobilizaram pais de alunos da escola que tinha 22 anos de fundação.

Os pequenos estavam amarrados com panos ou dispostos em cadeirinhas colocadas no banheiro, ao lado do vaso sanitário. 

Investigação

A prisão das irmãs Serme causou surpresa em Mogi das Cruzes. Segundo fontes policiais, mais de uma dezena de endereços foram investigados em endereços de São Paulo e da região para encontrar as responsáveis pela escola infantil. 

Veja Também