Diário Logo

Notizia Logo

Mogi vai celebrar o Dia do Autismo. Saiba como identificar o transtorno

Para celebrar o Dia Mundial de Conscientização Sobre o Autismo, que acontece neste domingo (2) a Prefeitura de Mogi das Cruzes preparou uma programação especial com atividades ao longo do mês, como o Piquenique Azul, na próxima quarta-feira (5), e a Olimpíada Azul, entre os dias 15 e 25, entre outras ações para trazer compreensão […]

2 de abril de 2023

Reportagem de: O Diário

Para celebrar o Dia Mundial de Conscientização Sobre o Autismo, que acontece neste domingo (2) a Prefeitura de Mogi das Cruzes preparou uma programação especial com atividades ao longo do mês, como o Piquenique Azul, na próxima quarta-feira (5), e a Olimpíada Azul, entre os dias 15 e 25, entre outras ações para trazer compreensão à toda população a respeito do transtorno do espectro autista (TEA).
Abrindo a programação, nesta quarta, a partir das 8h30, a equipe do Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSi) vai realizar o 2º Piquenique Azul, no Parque Centenário. Serão promovidas atividades lúdicas e caminhadas para crianças e adolescentes com autismo acompanhados pela unidade.

O evento deste ano é realizado pela Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Centro de Paradesporto e a participação de alunos e professores da Faculdade do Clube Náutico Mogiano e dos profissionais da Rede de Atenção Psicossocial.

Olimpíada Azul 

Vem aí a Olimpíada Azul 2023. O grande evento chega à segunda edição e será realizado no dia 15, a partir das 9 horas, no Clube Náutico Mogiano. O objetivo da atividade é tornar a cidade mais inclusiva. Cerca de 200 participantes conferiram a primeira edição, no ano passado.
Podem participar pessoas com TEA e atletas amigos – pessoas sem deficiência ou com outras deficiências. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas de maneira online até o dia 15 de abril.

Inscreva-se

A segunda Olimpíada Azul, edição 2023, tem como objetivo incentivar a prática esportiva de pessoas com TEA, ao promover a inclusão social e proporcionar momentos de alegria e descontração aos envolvidos, por meio desta ferramenta de socialização. O evento irá apresentar as modalidades que são desenvolvidas para o TEA no centro do Paradesporto de Mogi das Cruzes.

Entre as modalidades estão futebol, basquete, bocha, jogos de mesa (dominó e jogos educativos de peças de encaixe), game, taekwondo e atletismo. A confraternização esportiva contará também com um espaço de atividades artísticas para todos que queiram interagir com a programação.

A ação segue nos dias 17, 18 e 19 para realização das competições individuais e a cerimônia de encerramento do torneio será no dia 25. O Clube Náutico Mogiano fica na rua Cabo Diogo Oliver, 758, na Vila Mogilar. Mais informações pelo e-mail [email protected] ou pelo WhatsApp nos números (11) 97257-2701 e (11) 99847-7968.

Educação

Já a secretaria Municipal de Educação organizou ações com foco no atendimento da educação especial, ao assegurar a equidade de condições para os alunos com TEA. A Escola Municipal de Educação Especial (Emesp) Profª Jovita Franco Arouche, na Vila Lavínia, distribuirá laços em referência ao autismo e os professores, alunos e familiares utilizarão camisetas com o logo da campanha. 

De 3 a 6 de abril, os alunos atendidos pela equipe multidisciplinar participarão da programação CurtaTea. Já os profissionais que atuam na educação especial e professores das turmas regulares realizarão cursos de TEA, ABA e PEI, a partir do dia 14.

A Emesp estará no dia 15, sábado, no Largo do Rosário, onde também distribuirá laços referentes ao TEA e divulgará os atendimentos ofertados para os alunos com TEA na unidade escolar. Professores, alunos e familiares estarão com as camisetas da campanha. A equipe estará à disposição para o esclarecimento de dúvidas.

Encerrando o mês, no dia 29, no período da manhã, será realizado o Estação TEALEGRIA, no Parque da Cidade, em parceria com o curso de Pedagogia da Universidade de Mogi das Cruzes. Estagiários e servidores farão atividades, como contação de histórias, música, jogos e brincadeiras. Estará presente o coral de alunos da Emesp.

Segurança

O atendimento a pessoas com transtorno do espectro autista (TEA) foi tema de um treinamento realizado em 20 de março para 32 guardas municipais de Mogi das Cruzes. A ação foi realizada na Escola de Governo e Gestão e faz parte das ações de capacitação contínua da corporação, visando a melhoria constante do atendimento à população.

Também participaram das atividades agentes da Ronda Ostensiva com Motocicletas (Romo), da Patrulha Ambiental, das viaturas de patrulhamento de área e da Central Integrada de Emergências Públicas (Ciemp), que realiza o atendimento telefônico de ocorrências e realiza o monitoramento da cidade, por meio de câmeras.

O que é o autismo?

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), ou autismo, como é comumente chamado, refere-se a uma condição que compromete três áreas do desenvolvimento: interação social, comportamento e comunicação. 

O paciente com autismo apresenta dificuldades de domínio da linguagem, socialização e desenvolve comportamentos restritivos e repetitivos em diferentes intensidades. 

Não há cura para o transtorno, mas o tratamento traz qualidade de vida para o indivíduo melhorando a comunicação, a interação e o comportamento. 

O acompanhamento geralmente é feito por uma equipe multidisciplinar composta por profissionais da saúde como médicos, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, fisioterapeutas, psicopedagogos entre outros. 

A pediatra e professora de Medicina, Karinna Faro, explica que ainda que o autismo seja um transtorno que não tem cura, a criança pode adquirir as habilidades funcionais esperadas para a etapa do desenvolvimento, através das terapias direcionadas. 
“O número de casos identificados tem crescido bastante, a idade avançada dos pais e a prematuridade vêm contribuindo para esse aumento. É muito importante lembrar que quanto mais cedo forem iniciadas as intervenções, melhor será a qualidade de vida da criança considerando o tempo ouro da neuroplasticidade que são os primeiros 2 anos de vida”, esclarece a especialista. 

 
Como identificar os sinais? 

Os sinais e sintomas não são iguais em todas as crianças, no entanto as características mais evidentes estão ligadas à comunicação social e à presença de comportamentos disfuncionais:

 No comportamento social, destaca-se a dificuldade em estabelecer um envolvimento social e de entender expressões e emoções, e a falta de interesse ou dificuldade em estar e brincar com outras pessoas da mesma idade. Pode apresentar uma varredura ocular podre e não sustentada, não respondendo aos chamados pelo seu nome e não percebendo a aproximação de um adulto, por exemplo. 

Na linguagem, a criança normalmente apresenta atraso para iniciar a fala, e/ou apresenta dificuldade em usar as palavras como um instrumento de comunicação e expressão.

Quanto à motricidade, algumas crianças andam na ponta dos pés, fazem movimentos de exaltação com as mãos, andam em círculo, fazem movimentos repetitivos disfuncionais, representando as alterações sensoriais características do espectro.

A médica ressalta que, em alguns casos, o paciente faz uma seleção alimentar severa, distinguindo por cores, cheiros e texturas o que consegue ingerir, levando a carências nutricionais e alterações intestinais. 

Saber como identificar o diagnóstico é uma das mais frequentes dúvidas das famílias. A médica menciona que não há exames laboratoriais (como de sangue) nem de imagem que confirmem o autismo. A avaliação é exclusivamente por métodos de observação, acompanhamento e testes padronizados realizados por um corpo de especialistas no desenvolvimento infantil, que inclui além do médico, fonoaudiólogos, psicólogos e terapeutas ocupacionais. 

 A pediatra finaliza destacando que, por se tratar de um período muitas vezes delicado para a família, o apoio emocional aos pais é fundamental, explicar sobre a natureza do transtorno e direcionar precocemente para as terapias.

Veja Também