Diário Logo

Notizia Logo

MP denuncia casal de Guararema pelo homicídio do filho de 7 anos

O promotor de Justiça Bruno Arneiro Soares denunciou um casal morador em Guararema pelo homicídio do filho de 7 anos. O caso ocorrido em 22 de junho deste ano teve repercussão nacional, pois o menino Lucas Henrique de Lima Franco foi espancado pelo seu pai adotivo, Marcelo Bezerra Leão após ter comido, sem permissão, carne […]

20 de julho de 2023

Reportagem de: O Diário

O promotor de Justiça Bruno Arneiro Soares denunciou um casal morador em Guararema pelo homicídio do filho de 7 anos. O caso ocorrido em 22 de junho deste ano teve repercussão nacional, pois o menino Lucas Henrique de Lima Franco foi espancado pelo seu pai adotivo, Marcelo Bezerra Leão após ter comido, sem permissão, carne de frango que estava guardada na geladeira da casa.

Segundo a Promotoria, a mãe adotiva do garoto, Margarete Franco Leão, professora da rede municipal de ensino de Suzano, à época do crime, “anuiu com as agressões, tendo ainda buscado ocultar a causa das lesões apresentadas pela criança”.

Ao apresentar a denúncia, o promotor citou declarações de testemunhas, segundo as quais, “a vítima do homicídio e outros filhos do casal costumavam ser fisicamente castigados, possuindo escoriações e cicatrizes de agressões anteriores”.

Segundo a Polícia Militar, o pai adotivo da criança foi preso após confessar que havia batido no menino pelo fato de Lucas  pegar alimentos à revelia dos pais. Marcelo disse ainda que agredia o filho com alguma frequência.

No hospital, o pai havia apresentado outro motivo para os ferimentos do filho.

Henrique disse aos médicos que o garoto havia caído de uma escada, no interior de sua casa, quando tentava alcançar alguma coisa para comer. Detalhe: Marcelo foi, durante cinco meses, integrante do Conselho Tutelar de Guararema

A médica que atendeu à criança desconfiou das agressões ao encontrar antigas lesões do corpo do menino. Logo que a Polícia entrou no caso, o pai confessou as sessões de pancadaria contra o filho.

O casal continua preso.

Veja Também