Diário Logo

O Diário Logo

Polícia identifica assassino de Pedrinho Matador e prisão deve ocorrer a qualquer momento

O delegado Rubens José Ângelo, do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa, o SHPP, declarou que a Polícia Civil de Mogi das Cruzes já sabe quem foi o autor dos disparos que mataram o serial killer brasileiro Pedro Rodrigues Filho, o Pedrinho Matador, na manhã de domingo do dia 5 de março passado, em […]

6 de junho de 2023

Reportagem de: O Diário

O delegado Rubens José Ângelo, do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa, o SHPP, declarou que a Polícia Civil de Mogi das Cruzes já sabe quem foi o autor dos disparos que mataram o serial killer brasileiro Pedro Rodrigues Filho, o Pedrinho Matador, na manhã de domingo do dia 5 de março passado, em frente à casa de familiares, no bairro da Ponte Grande. 

As investigações foram conduzidas pelo SHPP, que já teria identificado a motivação e a autoria do crime que trouxe ao noticiário a história de Pedrinho Matador, autor de mais de 100 assassinatos, e considerado o maior homicida em série do Brasil – a maioria das vítimas foi morta dentro de prisões e eram desafetos do homem que foi enterrado no Cemitério da Saudade. A Polícia apura se a morte foi encomendada por uma facção criminosa. 

Pouco depois do assassinato, a Polícia encontrou um veículo Gol preto usado por homens que mataram o homem que estava em liberdade e possui familiares em Mogi das Cruzes.

Segundo o site Metrópoles, a prisão do acusado (ou acusados) deve ocorrer em breve, segundo teria afirmado o delegado mogiano.

Ele foi executado em frente à casa de familiares na rua Pedro Rodrigues Costa, onde frequentava com regularidade nos períodos em que permaneceu em liberdade.

Segundo o histórico de Pedrinho Matador, ele teria matado mais de 100 pessoas, segundo ele mesmo somava, porém, oficialmente, a Justiça apontava a soma de 71 assassinatos –  a maioria praticada dentro de presídios onde ele viveu 42 dos 68 anos de vida. 

O caso foi registrado como homicídio qualificado e localização/apreensão de veículos.

A história de Pedrinho Matador voltou a movimentar o noticiário: em Mogi das Cruzes, ele chegou a atuar como jardineiro na EE. Francisco de Souza Melo, no Botujuru.

Nos últimos anos, ele conquistou milhares de seguidores em suas redes sociais. Convertido, ele mostrava o seu dia a dia e comentava crimes famoso, dando conselhos a quem se enveredava pelo mundo do crime. Ele foi batizado na Igreja Santidade e Arrependimento.

Veja Também