Diário Logo

O Diário Logo

Vídeo mostra o tiro à queima-roupa que matou motoqueiro de 39 anos em Suzano

Uma câmera monitoramento mostra a sequência de latrocínio que matou o motociclista FRD, de 39 anos, em uma das vias mais movimentadas de Suzano, a avenida General Francisco Glicério, por volta das 17h18, da segunda-feira (24). As imagens reforçam a frieza dos dois assaltantes que passam em frente à câmera, momentos antes de o motociclista […]

25 de julho de 2023

Reportagem de: O Diário

Uma câmera monitoramento mostra a sequência de latrocínio que matou o motociclista FRD, de 39 anos, em uma das vias mais movimentadas de Suzano, a avenida General Francisco Glicério, por volta das 17h18, da segunda-feira (24). As imagens reforçam a frieza dos dois assaltantes que passam em frente à câmera, momentos antes de o motociclista parar no semáforo; e, logo em seguida, eles voltam, correndo, e um deles atira na vítima à queima-roupa.

A dupla foi surprendida, no entanto, pela presença de dois seguranças particulares e guardas municipais. Um dos vigilantes atira em direção aos ladrões, que já preparavam para fugir após jogarem a moto e a vítima no chão. O ladrão reage aos disparos, antes de sair em disparada, a pé, e subir na garupa da moto já em movimento. 

Três pessoas ficaram feridas, além do vigilante particular e passam bem (veja reportagem aqui). Já o motociclista morreu.

A sequência do que parece ser uma violenta cena de filme leva pouco mais de dois minutos e mostra a rotina de pedestres e o trânsito da General Francisco Glicério, uma das mais movimentadas da região central de Suzano, por volta das 17h.

Nesse horário, as pessoas circulam ainda pelo comércio local e no retorno de compromissos ou do trabalho para casa.

Por volta das 17h18, dois homens passam tranquilamente em frente à câmera: um de boné, camiseta listrada e bermuda branca; o outro, o atirador, de camiseta estampada azul, bermuda verde. Ambos estavam de chinelos e relógios.

Alguns segundos depois de seguirem no sentido contrário ao do semáforo, eles retornam ao verem o motociclista estacionar, atiram, jogam-o no chão, e se preparam para fugir.

Os disparos do segurança particular frustram a rápida fuga. Porém, logo após ferir o agente, a dupla foge – um deles acaba preso, algumas horas mais tarde, em Itaquaquecetuba.

Durante o tiroteio, as pessoas que estavam dentro de um dos carros – um homem, uma mulher e duas meninas, começam a sair e se deitam no chão.

Outras pessoas se escondem e logo após a fuga começam a voltar à cena do crime para esboçar algum socorro ao motociclista.

Um dos vigilantes ampara o companheiro ferido no joelho, durante a troca de tiros. 

A região possui uma base fixa da Guarda Civil Metropotitana e, vigilantes de uma empresa de segurança particular, segundo afirmou o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL) atuaram durante a ocorrência.

O prefeito gravou um vídeo onde prestou condolências aos familiares da vítima fatais. Na publicação, o gestor afirma que a presença da guarda, a parceria com seguranças particulares e a existência do sistema de monitoramento, foram de valia, inclusive para a investigação e prisão dos suspeitos.

Um homem de 19 anos suspeito do crime foi preso, e, de acordo com o boletim de ocorrências do crime, ele teria assumido ter feito o disparo contra o motociclista.

Veja Também