Diário Logo

O Diário Logo

Educação de Suzano deve ampliar projeto de prevenção à violência escolar em 2022

A Secretaria de Educação de Suzano realizou uma reunião na última terça-feira (14) para apresentar um balanço anual e as expectativas do projeto “Prevenir a Violência Escolar”. Os profissionais envolvidos se reuniram no Complexo Educacional e Cultural Mirambava para discutir os próximos passos da iniciativa. Na ocasião, os responsáveis pelo projeto apresentaram os principais casos […]

17 de dezembro de 2021

Reportagem de: O Diário

A Secretaria de Educação de Suzano realizou uma reunião na última terça-feira (14) para apresentar um balanço anual e as expectativas do projeto “Prevenir a Violência Escolar”. Os profissionais envolvidos se reuniram no Complexo Educacional e Cultural Mirambava para discutir os próximos passos da iniciativa. Na ocasião, os responsáveis pelo projeto apresentaram os principais casos e o desenvolvimento dos alunos beneficiados com as ações. Ao todo, houve a participação de 60 professores e diretores da rede municipal de ensino.

Com o projeto “Prevenir a Violência Escolar”, a pasta promove, em parceria com o Instituto Cultiva, uma atuação intersetorial entre os órgãos públicos da cidade para identificar, no próprio ambiente escolar, alunos em situação de vulnerabilidade. Com a suspeita, os profissionais capacitados, chamados de articuladores comunitários, iniciam acompanhamento familiar e atendimento específico para cada necessidade, com o objetivo de solucionar os motivos que podem ter originado a violência.

Durante a reunião da última terça-feira, foram apresentados casos em que a intervenção surtiu efeitos positivos na educação e na qualidade de vida dos estudantes, tanto no ambiente escolar como em seus lares, por meio de apoio psicológico, cuidados e monitoramento. Os profissionais debateram os números apresentados na reunião, projetando novas ações e a formação de novas equipes. Ao longo de 2021, o projeto atendeu a 1.106 alunos das escolas da cidade, dos quais 49 foram direcionados a serviços da Secretaria de Saúde, 372 ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e 384 ao Conselho Tutelar.

“Neste encontro pudemos trocar experiências, tratar sobre alguns dos casos que estiveram sob nossos cuidados e, mais importante, falar do quão positivo foi esse projeto durante a pandemia, em que os alunos estiveram em casa por mais tempo. O planejamento inicial para o ano que vem é dar ainda mais suporte às famílias em geral, algo que nos enche de orgulho”, disse.

Por sua vez, o secretário municipal de Educação, Leandro Bassini, disse que o projeto, premiado em 2021, tende a crescer e ajudar mais lares no ano seguinte. “O trabalho de acolhimento e acompanhamento é essencial para prevenir a violência nas escolas. Não adianta intervir quando as consequências já aconteceram, é preciso observar a fundo as causas e é isso que este projeto faz, com todo o suporte da gestão pública. Para o ano de 2022, nosso foco é não só manter como potencializar o apoio aos alunos e às famílias”, comentou.

Atuação

O projeto “Prevenir a Violência Escolar” foi implantado na cidade em julho de 2019 com o objetivo de formar uma rede de proteção à criança e ao adolescente com um trabalho intersetorial que considera a integralidade do indivíduo e a multifatorialidade de aspectos que incidem sobre suas vidas, com foco na garantia de direitos.

A atuação da iniciativa se organiza em eixos centrais que consistem na formação continuada de profissionais e nos articuladores comunitários que realizam visitas aos alunos das escolas e acompanham as famílias durante os processos. O objetivo desta divisão é segmentar e capacitar corretamente os articuladores de cada região e instituição para assim prestar o atendimento mais adequado.

Veja Também