Diário Logo

O Diário Logo

Procon dá dicas sobre compra de material escolar neste início de ano

Com a proximidade da volta às aulas, o Procon Suzano dá dica aos consumidores a respeito da compra de materiais escolares para o retorno às aulas em 2022. A coordenadora do órgão, a advogada Daniela Itice, explica que para economizar e oferecer qualidade para os alunos, estão a atenção com a transparência em relação aos […]

16 de janeiro de 2022

Reportagem de: O Diário

Com a proximidade da volta às aulas, o Procon Suzano dá dica aos consumidores a respeito da compra de materiais escolares para o retorno às aulas em 2022. A coordenadora do órgão, a advogada Daniela Itice, explica que para economizar e oferecer qualidade para os alunos, estão a atenção com a transparência em relação aos materiais pedidos pelas escolas, a diferença de preços nos estabelecimentos e o uso do bom senso por parte dos pais para as compras.

Com base em fiscalizações feitas na cidade, Daniela observa que que foi constada uma grande variação de preços oferecidos nos estabelecimentos. Em comparação com o ano de 2021, os itens sofreram um aumento médio de 30%, o que motiva o pedido para que os munícipes sempre organizem uma pesquisa de preços antes de ir às compras, tomando precauções ao buscar descontos e preços mais baixos.

O Procon alerta aos consumidores em vários aspectos, em especial quanto aos pedidos feitos pelas escolas. A coordenadora do órgão afirma que as instituições de ensino devem oferecer a lista de materiais completa aos responsáveis, sem exigências relacionadas a preço, marca ou quaisquer outras especificações se não o item pedido, independentemente de seu valor de mercado.

Os pais também devem ficar atentos em relação à qualidade de alguns itens pedidos, pois estes devem apresentar o selo do Inmetro para serem comercializados. Este é o caso de apontadores, tintas, lápis de cor, compassos e outros mais. A certificação é obrigatória e garante a segurança do produto para uso de crianças. Outro ponto é o reaproveitamento de itens de um ano para o outro, sendo essa uma prática indicada em caso de boa qualidade dos produtos em uso pelas crianças.

De acordo com Daniela, as escolas têm algumas restrições quanto às listas de materiais, pensando na segurança e saúde dos alunos. “Um dos exemplos que sempre fiscalizamos envolve a lei federal nº 12.886/13, que veta pedidos por itens de uso coletivo na sala de aula, como artigos de higiene ou de limpeza, em especial no momento em que vivemos. Os responsáveis pela indicação e compra devem saber que os materiais são de uso exclusivamente pessoal”, afirmou.

O período de começo do ano, como relata a coordenadora, é de intensa movimentação para lojistas e consumidores, motivando o trabalho do Procon para evitar abusos por parte dos comércios. “Os pais e responsáveis que cuidam da educação de seus filhos separam este momento do ano para repor o material que foi pedido para as atividades curriculares, motivando grande movimento em papelarias e lojas de materiais escolares em geral. É importante sempre manter a atenção neste momento, para não gastar mais que o necessário e acionar o órgão em casos de abusos”, concluiu.

Os munícipes podem entrar em contato com o Procon por meio de atendimento presencial na rua Baruel, número 126, no Centro, pelos números de telefone (11) 4744-7322 e 4744-7461 e por e-mail, no endereço [email protected].

 

Veja Também