Diário Logo

O Diário Logo

TJ condena ex-vereador de Suzano e outros 7 por ligação entre PCC e cooperativa de vans

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou 8 acusados de utilizarem uma cooperativa de transporte de Suzano como fachada para a execução de crimes como tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em favor da organização criminoso conhecida como PCC. O caso é acompanhado por moradores da cidade desde 2017, quando o Ministério Público, […]

23 de maio de 2023

Reportagem de: O Diário

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou 8 acusados de utilizarem uma cooperativa de transporte de Suzano como fachada para a execução de crimes como tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em favor da organização criminoso conhecida como PCC.

O caso é acompanhado por moradores da cidade desde 2017, quando o Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Guarulhos, denunciou o grupo, que teria entre os seus integrantes o ex-vereador e ex-presidente da Câmara de Suzano, José Carlos de Souza Nascimento, conhecido como Zé Perueiro, além de dois ex-assessores do legislativo da cidade.

O ex-vereador foi condenado a uma pena de 13 anos de reclusão, mas poderá recorrer da decisão em liberdade, segundo a decisão do juiz José Eugênio do Amaral Souza Neto, do Tribunal de Justiça de Sâo Paulo, proferida nesta segunda-feira (22). Outros réus têm penas maiores que chegam a até 27 anos de reclusão.

Quando exercia o mandato conquistado pela primeira vez, nas eleições municipais de 2016, o ex-vereador chegou a ser preso preventivamente. Em liberdade, ele voltou à casa legislativa até que uma determinação do Supremo Tribunal Federal revogou liminar que o manteve na condução do Poder Legislativo. No início de 2020, decisão do STF o afastou do cargo.

O político teve o nome envolvido na denúncia feita por promotores do Gaeco que encontraram drogas, arma e dinheiro na sede da cooperativa de transporte liderada pelo político que se elegeu com 1.423 votos pelo PTB. Ele era um dos 11 novos nomes eleitos para o mandato iniciado em 2017.

Em 2020, novamente candidato, ele viu desidratar a aprovação dos eleitores e recebeu 642 votos, ficando como quarto suplente pelo partido, o PTB.

Protesto

Uma polêmica fotografia de um protesto realizado por motoristas que integravam as cooperativas de Suzano, que pressionavam o prefeito, Rodrigo Achiuchi (no primeiro mandato), para regularizar o transporte por vans em bairros da Divisa, na região do bairro Miguel Badra e Jardim Marengo, se tornou um ponto de referência sobre aquele momento vivido no setor.

Os manifestantes utilizaram uma placa que dizia, com as primeiras letras em vermelho, Prefeito Cumpra o Combinado, que seria a mesma sigla para PCC – à época, a órgãos de imprensa, representantes dos cooperados explicaram que a ideia era deixar em maíscula as letras PCOC – Prefeitura Cumpra O Combinado – um argumento que acabou se tornando imagem simbólica sobre o protesto e as denúncias de envolvimento entre a cooperativa e a organização criminosa.

A denúncia

O Gaeco denunciou o envolvimento de 8 homens na organização criminosa por meio da cooperativa que operava no sistema de transporte de vans da cidade.

Foram condenados os dois ex-assessores da Câmara de Suzano, que teriam sido indicados para tais cargos pela organização criminosa: Cleiton Virgílio da Silva, de 43 anos, e Luis Alexandre Papalia, o Papa, de 51 anos. Os dois ex-funcionários foram condenados a 6 anos de reclusão, mas também poderão recorrer da sentença em liberdade.

Para o Gaeco, o ex-vereador era a liderança política do PCC que atuava na região do Alto Tietê. 

Também foram sentenciados pelo mesmo crime Daniel Rodrigues de Oliveira, o Gordão ou Fiat, Dárcio Cândido da Silva, o Tota – os dois são apontados como os chefes do tráfico nas cidades do Alto Tietê; além de Pedro Zeca da Silva, Márcio Zeca da Silva e Jefferson Veríssimo da Silva, o Arrepiado ou Ripe.

O Diário buscou contato telefone com escritórios de advogados de defesa e incluirá os argumentos dos defensores nesta reportagem caso sejam encaminhados à redação. 

Veja Também