Diário Logo

O Diário Logo

Veja quem são os vereadores do Alto Tietê presos por suspeita de fraude em licitações

Ao todo, 14 pessoas já foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, o GAECO

16 de abril de 2024

Ricardo Queixão, Inha e Luizão Arquitetos foram presos na Operação Fim da Linha | Divulgação

Reportagem de: Fabricio Mello

Os dois vereadores envolvidos na operação do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), na manhã desta terça-feira (16), são de Ferraz de Vasconcelos e Santa Isabel. Outro vereador é do litoral paulista. O MP realizou operação contra suspeitos de fraudar licitações públicas em 12 municípios paulistas, e há ainda presos suspeitos de serem associados ao PCC.

Ao todo, 14 pessoas já foram presas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO).

O objetivo da operação é desarticular a quadrilha ligada ao PCC. Os promotores afirmam que o grupo forjava concorrência para vencer licitações e firmar contratos com prefeituras para contratação de mão de obra terceirizada. A atuação teria o apoio dos vereadores e de agentes públicos, com contratos que somam R$ 200 milhões.

Entre os vereadores do Alto Tietê presos estão:

  • Flavio Batista de Souza (Podemos), o Inha, de Ferraz de Vasconcelos: em seu terceiro mandato, ele também atuou como presidente do Legislativo entre 2021 e 2022;
  • Luiz Carlos Alves Dias (MDB), o Luizão Arquiteto, de Santa Isabel: eleito nas legislaturas 2013-2016, 2017-2020 e 2021-2024, ele foi presidente da Câmara de Santa Isabel em três períodos: entre 2013-2014 e nos anos de 2019 e 2020.

Além dos dois do Alto Tietê, a operação prendeu ainda o vereador Ricardo Queixão (PSD), de Cubatão.

Os promotores responsáveis pela operação afirmam que os vereadores não têm necessariamente vínculo com o PCC. No entanto, os investigados são apontados como elos de corrupção com os órgãos públicos. Os principais suspeitos de ligação com a facção criminosa são empresários.

Outro lado

A redação do O Diário tentou contato com todos os três vereadores citados nesta reportagem, mas também não obteve retorno.

A Câmara de Santa Isabel, entretanto, divulgou uma nota afirmando tomou conhecimento da operação e está colaborando com as investigações. Veja a nota:

“A Câmara Municipal de Santa Isabel – SP, tomou conhecimento na manhã de hoje, 16 de abril, da operação deflagrada pelo GAECO. Até o presente momento esta Câmara de Vereadores vem colaborando com as investigações. Quanto aos mandados de prisão, informamos que não fomos cientificados acerca de eventuais prisões. Aguardamos o deslinde das investigações, e nos colocamos à disposição da Justiça para maiores esclarecimentos.”

Também em nota, a Câmara de Cubatão divulgou que está colaborando com a investigação. Confira a nota na íntegra:

“Em atenção à Operação Muditia, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e a Polícia Militar, a Câmara Municipal de Cubatão informa que tomou ciência da referida operação nesta manhã (16) e que está colaborando com as equipes de investigação, fornecendo todos os documentos solicitados pelas autoridades.”

A redação ainda aguarda a nota da Câmara de Ferraz de Vasconcelos para atualizar a reportagem.

Veja Também