Diário Logo

O Diário Logo

Baleia jubarte é flagrada nadando em meio a cardume de raias no Litoral Norte

Segundo especialista de Mogi das Cruzes, é comum presença nas praias nessa época do ano, mas interação entre espécies é rara

20 de maio de 2024

Registro foi feito durante o monitoramento de um grupo de jubartes | Reprodução/Rafael Mesquita

Reportagem de: Fabricio Mello

A cena é de encher os olhos: um cardume de quase três mil raias ticonha “dançando” ao redor de uma baleia jubarte. O registro, feito pelo fotógrafo de natureza e vida selvagem Rafael Mesquita, mostra os animais no Litoral Norte, em São Sebastião. 

Procurado pela redação do O Diário, Rafael conta que na ocasião do registro, ele estava acompanhando um grupo de três baleias jubarte que estavam nadando na região há mais de duas semanas.

“Uma das baleias estava emalhada com um cabo e o Instituto Argonauta tentou retirar esse emalhe no dia anterior do vídeo, sem sucesso. No dia do vídeo, eu fui procurar essa baleia emalhada e localizei uma jubarte. Subi meu drone para verificar se era ela e vi que não era, mas fiquei extremamente surpreso com o tamanho do cardume de raias ticonha que vi!”

Ele conta que, no primeiro momento, não conseguiu dimensionar o tamanho do cardume pela vista que tinha do barco. A estimativa é de que mais de três mil raias estavam nadando juntas.

Apesar do registro por si só ser fantástico, o que chamou atenção do fotógrafo – e das pessoas nas redes sociais, onde o vídeo foi publicado e soma mais de 1,3 milhão de visualizações – é que a jubarte entrou no meio do cardume. Veja o registro do momento:

A pedido do O Diário, Fernanda Maris, que é professora do curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário Braz Cubas, analisou o registro. Segundo ela, o encontro entre as espécies no Litoral Norte tem relação com a atual época do ano.

“Estamos no final da temporada de acasalamento e reprodução das raias, e início da temporada para as jubartes e ambas as espécies costumam visitar nosso litoral para se alimentar e reproduzir.”

Entretanto, Fernanda destaca que apesar do avistamento ser comum, a interação entre os animais não é “algo tão fácil de acontecer, o que torna o registro simplesmente maravilhoso”. Além disso, a aproximação da jubarte do cardume deve ter sido motivada por uma busca por alimento.

“As jubartes se alimentam principalmente de krill e outros peixes pequenos, e tem o hábito de nadar juntas para encurralar esses peixes, além de comportamentos de batidas e saltos para atordoar os peixes, facilitando sua captura. Provavelmente essa baleia usou dessa técnica de encurralar para capturar peixes que estavam próximos ao cardume.”
Veja Também