Diário Logo

O Diário Logo

Missa marca um ano da morte do missionário europeu Peter Vitek em Mogi

Este 1º de maio marca o primeiro ano da morte do missionário europeu Peter Vitek foi vítima de um grave e fatal acidente na Estrada das Varinhas, a rodovia Engenheiro Cândido do Rego, caminho que interliga os distritos de Jundiapeba, Quatinga e Taiaçueba, em Mogi das Cruzes. Uma missa marcada para as 15 horas esta […]

1 de maio de 2023

Reportagem de: O Diário

Este 1º de maio marca o primeiro ano da morte do missionário europeu Peter Vitek foi vítima de um grave e fatal acidente na Estrada das Varinhas, a rodovia Engenheiro Cândido do Rego, caminho que interliga os distritos de Jundiapeba, Quatinga e Taiaçueba, em Mogi das Cruzes. Uma missa marcada para as 15 horas esta segunda-feira (1º),  feriado dedicado ao Dia dos Trabalhadores, será celebrada na Associação São Lourenço em memória do voluntário que deixou lição de vida e obras artísticas ao atuar na entidade mantida pela organização religiosa italiana Comunitá Cenacolo.

O convite encaminhado a amigos, religiosos e pessoas que conviveram com Peter – que residiu por quase duas décadas em Mogi das Cruzes, destaca a frase: “De Deus eu diversos dons e com eles eu quero testemunhar o Seu amo”. 

Obras e pinturas em dependências da Associação São Lourenço, além de registros em vídeos e, o mais forte de tudo, o impacto na vida de pessoas acolhidas durante o tempo que o missionário atuou na cidade, são registros da passagem dele pela organização.

O motorista de um caminhão atropelou o missionário que viveu 46 anos, sendo 17 deles dedicados à obra humanitária que recebe crianças, adolescentes e adultos na propriedade rural conhecida por católicos e integrantes da rede de atenção a menores e dependentes químicos.

O condutor se entregou à Polícia e o caso foi registrado, na ocasião, como homicídio culposo na direção de veículo automotor, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e fuga de local de acidente.

Peter Vitek voltava de um passeio com o amigo Isaac Trejo, que  teve fratura nos braços após a dupla de ciclistas ser atingida.

O condutor do veículo não permaneceu no local, mas teria ligado para o Corpo de Bombeiros quando chegou em casa, avisando sobre o incidente, segundo afirmou a defesa dele, há um ano.

A morte de Vitek ocorreu em um período que outros ciclistas também morreram em Mogi das Cruzes, motivando questionamentos e mobilizaões a favor de maior segurança no trânsito.

O missionário foi enterrado na Eslováquia, onde nasceu e residem seus familares.

VEJA O PERFIL DO missionário retratado em reportagens feitas por O Diário e nas redes sociais de amigos e da comunidade religiosa.

Sem radar

Quem chega à Associação São Lourenço utiliza a rodovia Mogi-Taiaçupeba, de onde os radares foram retirados, assim como em outras rodovias como a Mogi-Salesópolis e a Estrada das Varinhas.

Questionado novamente sobre a fiscalização eletrônica, na semana passada, o governo do Estado voltou a afirmar, como há um ano atrás, que atua para concluir um processo de licitação (veja reportagem publicada em abril deste ano).

Quem era o missionário

Vitek era solteiro e fez a opção da vida missionaria e religiosa há 25 anos, quando começou a atuar na comunidade Cenacolo, fundada pela religiosa Elvira Petrozzi, na Itália, para atender jovens dependentes químicos, em 1983. Com o passar do tempo e a expansão do trabalho a outros países, esse grupo missionário instalou-se em Mogi das Cruzes.

Além de atender crianças e jovens, também se destaca por manter uma casa para o acolhimento a pessoa em tratamento da adicção química.

 

 

Veja Também