Diário Logo

Notizia Logo

Prefeito admite mudar de partido, mas com o aval de Renata Abreu

O prefeito Caio Cunha (PODE) confirmou, em entrevista, conversas mantidas recentemente com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, e admitiu a possibilidade de mudar de legenda, mas assegurou que qualquer decisão nesse sentido terá de passar primeiro pela presidente nacional do Podemos, a deputada federal Renata Abreu. Ao ser questionado sobre o assunto […]

15 de julho de 2023

Reportagem de: O Diário

O prefeito Caio Cunha (PODE) confirmou, em entrevista, conversas mantidas recentemente com o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, e admitiu a possibilidade de mudar de legenda, mas assegurou que qualquer decisão nesse sentido terá de passar primeiro pela presidente nacional do Podemos, a deputada federal Renata Abreu.

Ao ser questionado sobre o assunto pela apresentadora Marilei Schiavi, na Metropolitana, o prefeito procurou demonstrar uma enorme gratidão por Renata, lembrando o apoio recebido durante a campanha eleitoral passada. Naquela oportunidade, lembrou Caio, quando poucos acreditavam na sua eleição, Renata lhe garantiu o apoio que necessitava para conquistar a Prefeitura de Mogi.

Caio destacou que o político “precisa ter palavra” e reconheceu a parceria vitoriosa com a presidente de seu partido, antes de afirmar que não tem um projeto político pessoal, mas “um projeto de cidade” e, por isso mesmo, qualquer decisão que porventura vier a tomar em termos partidários, passará anteriormente por Renata. “É uma questão de lealdade e gratidão. Se um dia eu mudar de partido, de maneira estratégica, nunca vai ser para passar a perna na Renata Abreu, mas concordando com ela”, afirmou Caio.

Outro ouvinte questionou: se ele fosse o ex-prefeito Marco Bertaiolli (PSD-SP), ele iria para o Tribunal de Constas do Estado, continuaria deputado, ou seria candidato a prefeito de Mogi das Cruzes?

Caio procurou ser diplomático e alegou que era “muito difícil” falar o que uma outra pessoa deve decidir.

Questionado se teria um palpite, Caio disse que para Bertaiolli, a indicação para o TCE “é algo muito significativo, pois o Tribunal de Contas é um reconhecimento público”.

E foi ainda mais além:

“Já está tudo bem encaminhado para a ida dele; é uma conquista relevante, um cargo vitalício, mas posso dizer que é muito difícil falar pelos outros. Nunca parei para medir se fosse meu caso”.

E, bem-humorado, concluiu:

“Só sei que sou prefeito da cidade e vou continuar sendo, pelo menos por mais cinco anos”.

 

Em evidência

O ex-prefeito Marcus Melo (sem partido) tem sido visto em eventos sociais da cidade, especialmente nas festas populares.

Junto com um grupo de políticos, a maioria vereadores, ele foi visto participando da Festa do Divino, em Braz Cubas.

Neste final de semana, deve estar presente à Festa de Nossa Senhora do Carmo.

Melo tem procurado manter-se em evidência, já que ainda não abandonou a intenção de se candidatar novamente a prefeito de Mogi nas eleições do próximo ano.

O ex-prefeito está particularmente animado com resultados de pesquisas eleitorais que colocam seu nome em evidência em relação ao futuro pleito.

 

Lembranças

Antigos alunos e professores do antigo Instituto de Educação Washington Luiz já têm data para o encontro anual.

Será no dia 30 de setembro, um sábado, a partir das 12 horas, no restaurante Caipirado, no bairro do Botujuru.

Com a devida antecedência, Jônio Maciel, um dos principais organizadores, avisa aos virtuais participantes que já podem fazer contato e, dessa forma, garantir a participação na reunião onde todos aproveitam para matar saudades e para lembrar os bons tempos de uma das mais tradicionais instituições de ensino da cidade.

O esporte, a fanfarra e até o Grêmio Ubaldo Pereira, criação do professor e historiador Horácio da Silveira, farão parte das inevitáveis recordações.

 

Ausência

Uma grande ausência irá marcar as comemorações deste ano dos ex-alunos do Washington Luiz: o professor Armando Sérgio da Silva, que faleceu em 10 de fevereiro passado, vítima de complicações pulmonares. 

Um ex-aluno dos tempos áureos da instituição de ensino, Armando era frequentador assíduo dos encontros, segundo lembra Jônio Maciel, que estudou junto com ele. Ambos se formaram praticamente na mesma época.

“A perda do Armando representa muito para todos nós”, disse o organizador da festa.

 

Mais um…

O acidente que matou Margarida de Souza Conceição, mãe do padre Lauro Donizeti Conceição, também ferido gravemente, na noite desta sexta-feira (14), vem a se somar a tantos outros, resultantes do excesso de velocidade e da total falta de fiscalização na rodovia Mogi-Salesópolis, uma das mais perigosas da região.

E não foi por falta de aviso.

Na semana passada, este jornal trouxe uma ampla reportagem sobre a insegurança daquela via e ainda ouviu os deputados da cidade e região sobre o problema.

Nesta semana, a falta de fiscalização por radares e presencial na Mogi-Salesópolis e outras estradas voltou a ser abordada.

E, mais uma vez, os deputados foram cobrados.

Ou seja, se faltava mais uma tragédia para que providências fossem tomadas, agora já não falta mais.

É de se lamentar, porém, que a situação precise chegar a tal ponto para se imaginar que algo finalmente vai ser feito para reduzir a triste rotina de mortes nesta estrada de nossa região. Se é que vai…

 

Crime ambiental

Equipes de fiscalização da Prefeitura de Suzano flagraram um grupo de quatro pessoas efetuando o descarte de resíduos de siderurgia à base de alumínio, no rio Jaguari, na zona Norte daquela cidade.

O homem e seus três auxiliares foram conduzidos para o 2º Distrito Policial do bairro Boa Vista, onde foram autuados.

Os fiscais constataram que se tratava de uma empresa clandestina que também retirava água para fazer lavagem de matéria de siderurgia para extração do alumínio e promovendo o descarte dos dejetos (borra), sem nenhum tratamento, no córrego, segundo informou a Prefeitura.

O forte cheiro de amônia resultado da ação, passou a incomodar moradores que denunciaram o fato à Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

 

Punição à vista

Segundo a Prefeitura de Suzano, o local onde ocorriam as atividades irregulares, na estrada da Granja, foi embargado pela administração municipal e a ilegalidade comunicada à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), que é responsável pelo controle de ações com resíduos perigosos.

O órgão deverá fazer uma vistoria na área para demais procedimentos.

O responsável pela conduta ilegal responderá pela intervenção causada em Área de Preservação Permanente (APP) e pode ser punido pela lei 9.605/1998, artigo 54, que assim define o crime ambiental: ‘Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora’,  prevendo pena de reclusão de um a quatro anos e multa.

 

Veja Também