Diário Logo

O Diário Logo

Vídeo: Policial Militar agride aluna de escola pública com cotovelada em Mogi das Cruzes

Vídeo mostra abordagem dos policiais e o momento da agressão durante uma confusão generalizada dentro da escola

14 de junho de 2024

Aluna de escola pública de Mogi denuncia agressão policial | Reprodução/Redes Sociais.

Reportagem de: Vitor Gianluca

Uma aluna da Escola Estadual Francisco Ferreira Lopes, de Mogi das Cruzes, denuncia ter sido agredida por um policial militar com uma cotovelada no rosto, na última terça-feira (11). A agressão foi registrada em vídeo, durante uma confusão generalizada, entre os policiais e os alunos da unidade de ensino.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, os alunos gravaram o momento em que a estudante é atingida pelo policial militar com o golpe. Após a agressão, ela cai no chão e é puxada pela irmã. A vítima teria caído e batido a cabeça na grade e no chão após a cotovelada. Confira a imagem registrada durante a briga abaixo.

Em depoimento, a irmã da aluna afirmou que na terça (11), os policiais foram chamados para conter uma briga generalizada que ocorria na escola. “Estava acontecendo uma briga no banheiro e a tia da escola não conseguiu conter. Ela chamou alunos para ajudar, foi quando as agressões começaram”, disse a irmã da vítima. “Um policial encontrou um dos alunos que estava ajudando a separar a briga que estava acontecendo no banheiro feminino e começou a chacoalhar ele e deu um tapa na cara do aluno. Um amigo veio pedir para que o policial parasse e que a situação poderia ser resolvida de outra forma. Ele tomou uma cotovelada no pescoço”, afirmou a estudante.

Os alunos da escola, vendo a situação, se aproximaram dos policiais pedindo para que os militares parassem com as agressões. Foi neste momento em que a aluna teria sido agredida, como mostra o vídeo. Além da escoriação na boca, a aluna teve hematomas nas costas e nas pernas. O caso foi registrado como lesão corporal no 1º Distrito Policial de Mogi das Cruzes nesta quinta-feira (13).

Boca da estudante após a confusão | Reprodução/Redes Sociais.

Nota da SSP e da Seduc

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, informou que o caso foi registrado como lesão corporal no 1º DP de Mogi das Cruzes e que a mãe de uma das envolvidas compareceu à unidade policial para relatar as agressões. A mãe foi orientada quanto ao prazo decadencial de seis meses para a representação criminal. A Polícia Militar apura os fatos e analisa imagens da ação para tomar as medidas cabíveis se constatada irregularidades durante a abordagem.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) repudia qualquer tipo de violência dentro ou fora das escolas e está prestando suporte aos estudantes. Alunos começaram uma briga, resultando em uma confusão generalizada e, para manter a segurança da comunidade escolar, a gestão acionou as autoridades policiais.  

A escola está realizando reuniões com os responsáveis dos envolvidos para mediação de conflitos e esclarecimentos, e colocou à disposição dos estudantes um profissional do programa Psicólogo nas Escolas. A equipe do Programa Conviva SP de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar também irá implementar ações que visam promover a cultura de paz, o respeito ao próximo e bons hábitos por meio de projetos, palestras e outras atividades.  

A Diretoria de Ensino e a unidade escolar estão à disposição dos responsáveis e das autoridades para mais esclarecimentos.

Veja Também