Diário Logo

Notizia Logo

6 respostas para dúvidas sobre a vacina da gripe

A vacinação contra a gripe é uma medida crucial para a saúde pública, especialmente em tempos de crescente circulação de vírus respiratórios. Neste ano, a imunização contra a doença no Brasil começou em 25 de março. Inicialmente, ela vai abranger públicos prioritários como crianças, gestantes, puérperas, idosos, povos indígenas, trabalhadores de saúde, professores, pessoas em […]

28 de março de 2024

Reportagem de: Edicase Conteúdo

A vacinação contra a gripe é uma medida crucial para a saúde pública, especialmente em tempos de crescente circulação de vírus respiratórios. Neste ano, a imunização contra a doença no Brasil começou em 25 de março. Inicialmente, ela vai abranger públicos prioritários como crianças, gestantes, puérperas, idosos, povos indígenas, trabalhadores de saúde, professores, pessoas em situação de rua, profissionais das forças de segurança, pessoas com doenças crônicas, entre outros.

Apesar de sua importância e inclusão no calendário vacinal há anos, muitas dúvidas persistem entre a população. Por isso, o clínico geral Dr. Leandro Schimmelpfeng, do Eco Medical Center, esclarece algumas questões sobre a vacina da gripe. Confira!

1. A vacina da gripe tem efeitos colaterais?

Sim, porém eles não duram mais de 48 horas. Os sintomas são, em geral, febre de 38 °C, dor no local da aplicação, um pouco de dor muscular, mal-estar, fadiga e perda de apetite. “Não significa que a pessoa vá ter efeitos colaterais. Mas algumas pessoas podem ter esse tipo de reação”, explica Dr. Leandro Schimmelpfeng.

2. Quando não tomar a vacina contra a gripe?

Se a pessoa estiver doente, passando por alguma infecção e estiver com febre, deve aguardar até se curar, porque o sistema imunológico continua lutando contra essa infecção. “É preciso que o paciente se restabeleça primeiro e, em seguida, procure a vacina da gripe”, aconselha o médico.

Ele ainda ressalta que quem possui alergia ao ovo, ao timerosal (produto conservante da vacina) ou tem a síndrome de Guillain Barré (polineuropatia que causa fraqueza muscular) não pode tomar a vacina da gripe.

Homem tomando vacina
A vacina da gripe é formulada com o vírus inativado (Imagem: Roman Samborskyi | Shutterstock)

3. Quem teve COVID-19 recente, pode tomar a vacina da gripe?

Sim, é algo importante, pois é proteção contra um vírus diferente. Mas precisa estar curado da COVID-19 primeiro para depois tomar a vacina contra a gripe.

4. Pode tomar outras vacinas com a da gripe?

Sim. Várias vacinas podem ser tomadas com a da gripe. A da COVID-19 é um exemplo.

5. Tomei a primeira dose da vacina na rede pública. Posso tomar a outra dose na rede particular?

A vacina que a rede pública administra é trivalente. Para as cepas virais mais comuns no Brasil, ela tem cobertura suficiente (a não ser que a pessoa vá realizar uma viagem ao exterior, por exemplo, onde pode haver uma cepa diferente das que circulam no Brasil). Então, pode ser interessante tomar a vacina da rede privada, que é tetravalente e protege contra uma cepa a mais do que a oferecida pelo SUS.

6. Tomei a vacina, mas peguei gripe. Isso tem relação com a dose que tomei?

Apesar de tomar a vacina contra a gripe, ainda é possível contrair a doença. Isso não está relacionado à vacina em si, feita com vírus mortos ou enfraquecidos, incapazes de causar a gripe. O sistema imunológico leva de quatro a seis semanas para se fortalecer após a vacinação, durante as quais é possível ser infectado pelo vírus. No entanto, essa ocorrência não é resultado da vacinação, mas do tempo necessário para desenvolver a imunidade.

Por Giselle Ulbrich Alberti

Veja Também