Diário Logo

O Diário Logo

Câmara instala CEV para discutir a segurança em escolas de Mogi

A Câmara de Mogi das Cruzes oficializou a criação da nova Comissão Especial de Vereadores (CEV) para acompanhar as ações do município de conscientização, prevenção e enfrentamento à violência nas escolas. O projeto de lei, de autoria da vereadora Malu Fernandes (SD) foi aprovada nesta quarta-feira, durante a sessão, no Legislativo, que também deram aval […]

20 de abril de 2023

Reportagem de: O Diário

A Câmara de Mogi das Cruzes oficializou a criação da nova Comissão Especial de Vereadores (CEV) para acompanhar as ações do município de conscientização, prevenção e enfrentamento à violência nas escolas.

O projeto de lei, de autoria da vereadora Malu Fernandes (SD) foi aprovada nesta quarta-feira, durante a sessão, no Legislativo, que também deram aval ao projeto  do vereador Iduigues Martins (PT) que institui em Mogi a “Semana de Conscientização da Hanseníase”.

Os vereadores aprovaram ainda o projeto do vereador José Luiz Furtado (PSDB), que faz uma homenagem ao centenário do ex-prefeito Waldemar Costa Filho. Na mesma sessão, os parlamentares concederam ainda status de utilidade pública para a Associação dos Agentes Ambientais de Mogi (Agam).

CEV

O que estimulou a criação da CEV, como destacou a vereadora Malu, foram os últimos casos de violência em ambientes escolares registrados no país, principalmente em Santa Catarina, onde quatro crianças foram assassinadas em ataque a creche de Blumenau. Teve ainda o caso do adolescente que invadiu uma escola em São Paulo que assassinou uma professora e esfaqueou mais quatro pessoas.   

“Esses casos reacenderam o debate sobre segurança e aumentaram a preocupação dos pais. Assim, o sentimento de insegurança se intensificou. O ambiente escolar, que deveria trazer uma certa tranquilidade, agora é tomado pelo medo. No mundo virtual, não é difícil encontrar perfis que se escondem atrás das telas para espalhar mensagens de ódio e em tom de ameaça em diferentes redes sociais”, observa Malu.

O projeto, que terá uma duração de 180 dias, será presidida pela vereadora e integrada por três membros. Ela disse que quer ir além do debate sobre o caso. “Vamos coletar propostas das pessoas de soluções para o tema. Queremos ser ouvidos pela Prefeitura e encerrar os trabalhos com um desfecho”, declarou.

Inês Paz (PSOL) também defendeu a iniciativa e disse que “não podemos nos esquecer de garantir espaços acolhedores e meios pedagógicos saudáveis”. O vereador Iduigues Martins (PT) complementou, dizendo que “os pais estão angustiados, com o coração apertado. Precisamos mesmo pensar em alternativas, encontrar meios de garantir que as crianças tenham tranquilidade para estudar”..

 

Veja Também