Diário Logo

Notizia Logo

Insegurança no centro. Até quando os mogianos vão suportar tudo isso?

A situação está beirando o absurdo. Residências e casas comerciais têm sido vítimas das ações de marginais que estão agindo como se a região central de Mogi das Cruzes fosse terra de ninguém. E realmente a situação demonstra isso, tal a inércia das autoridades em agir para tentar coibir abusos cada vez mais recorrentes, a […]

6 de abril de 2023

Reportagem de: O Diário

A situação está beirando o absurdo. Residências e casas comerciais têm sido vítimas das ações de marginais que estão agindo como se a região central de Mogi das Cruzes fosse terra de ninguém. E realmente a situação demonstra isso, tal a inércia das autoridades em agir para tentar coibir abusos cada vez mais recorrentes, a ponto de um só imóvel ser atacado mais de uma vez em poucos dias.

É a certeza da impunidade que impulsiona tais ousadias.

Falta de alertas não tem sido, especialmente pelos moradores do centro e por entidades do comércio.

Prova disso é a quase repetição dos mesmos assuntos na pauta das discussões do Conselho de Segurança (Conseg) da área central. A coluna recebe os avisos das reuniões, enviados pelo Sincomércio. E os assuntos têm sido basicamente os mesmos, há muito tempo: furtos em residências e comércios, câmeras de vigilância privadas e municipais, além das adegas e tabacarias e do programa de vigilância solidária.

O discurso do presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, já é sabido por todos. Nas entrevistas, ele praticamente repete as mesmas histórias de comércios invadidos durante as noites/madrugadas, que mudam apenas de endereço; a chegada de novas câmeras para vigiar áreas aparentemente desertas e o programa de vigilância que tenta unir vizinhos para impedir que sejam os próximos alvos da bandidagem.

As reuniões do Conseg, invariavelmente, contam com a participação de policiais civis e militares, o que aumenta ainda mais a interrogação sobre o momento crítico da segurança no centro da cidade, quase sempre deserto após às 20 horas. Ou menos.

Será que os comandantes não estão sendo informados sobre a grita generalizada da população?

Ou eles não assistem a tevê local, não leem os jornais  da cidade e nem acompanham as redes sociais dos mogianos?

Cuidassem eles de gastar um pouco de seus preciosos tempos com tais fontes e eles saberiam avaliar, sem qualquer exagero, a gravidade do momento que a cidade está vivendo.

Os tempos estão mudando. As polícias estaduais já ganharam o apoio da Guarda Municipal e das câmeras.

O que mais falta para um trabalho mais eficiente e de resultados? Faltam homens, viaturas, armas? Se for isso, que seja exposto para que todos possam ficar sabendo e passem a cobrar do governador e de seu secretário de Segurança as melhorias necessárias.

O que não é possível de se admitir é que a situação continue da maneira como está. A região central de Mogi das Cruzes está vivendo um dos momentos mais inseguros de sua história recente, como comprovam os relatos de moradores e comerciantes.

A próxima reunião do Conseg para discutir os mesmos assuntos de meses atrás será no próximo dia 19. Quem sabe, até lá, algo terá sido feito para ao menos minimizar tal situação.

É o mínimo que se espera dos novos comandos das polícias Civil e Militar e do secretário municipal de Segurança.

Com a palavra, as autoridades…

 

Concurso público

O prefeito Caio Cunha (PODE) baixou portaria, no final do mês passado, autorizando a realização de concurso público para a Prefeitura de Mogi das Cruzes. A portaria institui uma Comissão Especial, que sob a presidência de Luciano Lima Ferreira, deverá organizar tal evento. Os demais membros são  Roberto Takeo Okudaira Júnior, Fernanda Mara Pinto, André Luiz Paiva e Marcélia Aparecida dos Santos. Ao grupo caberá a contratação de instituição especializada  para organizar o concurso. O documento do prefeito autoriza o concurso, mas não revela quais os cargos poderão ser disputados pelos interessados.

 

Expo Mogi, o retorno

A Câmara de Mogi aprovou, durante esta semana, a sugestão do vereador José Luiz Furtado (PSDB) para que sejam feitos os estudos necessários para a retomada da Expo Mogi, “nos moldes realizados anteriormente, ou seja, com praça de alimentação sob os cuidados das instituições e organizações da sociedade civil, que poderão se beneficiar das arrecadações alcançadas. O pedido foi encaminhado para o prefeito Caio Cunha, a quem caberá a palavra final em relação ao assunto. A Expo Mogi costumava acontecer na semana do aniversário da cidade, em setembro.

 

Vale e pena ver

Ela faria 101 anos no próximo dia 13 de abril. E por conta disso, a grande dama do samba brasileiro, dona Ivone Lara, será homenageada com uma programação especial do Sesc mogiano, que terá a presença da cantora Fabiana Cozza apresentando os grandes sucessos da sambista, compositora e intérprete. Aliás, a programação do Sesc melhora a cada dia, com a presença de nomes conhecidos da MPB: no dia 29 deste mês, os fãs do reggae nacional poderão assistir ao show do Planta e Raiz; no dia 30 será a vez de Maria Gadú, enquanto a sambista e deputada Leci Brandão irá se apresentar no 1º de maio, Dia do Trabalho.

 

Aplausos

É de autoria do vereador Edson Santos (PSD) a moção de aplausos e congratulações à Paróquia de Nossa Senhora Aparecida e São Roque, de Braz Cubas, que comemorou os 60 anos de sua criação, com missa do bispo dom Pedro Stringhini, do padre Cláudio Delfino e outros sacerdotes. A paróquia foi fundada em 31 de março de 1963 e é, atualmente, uma das mais antigas da cidade. A proposta foi aprovada por unanimidade.

 

Candidaturas

Nos bastidores da política local comenta-se que o vereador Edson Santos estaria se articulando politicamente para ser o candidato do PSD à Prefeitura de Mogi, nas eleições do próximo ano. Há quem diga, no entanto, que caso não consiga tal objetivo, ele se contentaria em ser o vice de quem vier a disputar a eleição pelo grupo político do qual faz parte e que é encabeçado pelo deputado federal Marco Bertaiolli (PSD) e Valdemar Costa Neto (PL). A propósito, até agora, os dois nomes com mais chances de emplacar como prefeituráveis são o deputado estadual Marcos Damásio (PL) e o ex-prefeito Marcus Melo (PDSB). Mas Teo Cusatis, o ex-secretário de Saúde de Bertaiolli, corre por fora, também com chances de se viabilizar como candidato à sucessão de Caio Cunha.

 

  

Veja Também