Diário Logo

O Diário Logo

Polícia caça último suspeito de assaltar casa do padre Alessandro Campos; veja vídeo

Operação para capturar o envolvido no crime ocorreu hoje (24); o indivíduo não foi encontrado em sua residência e continua foragido

24 de abril de 2024

Desfecho do caso está pendente até a localização do último foragido | Reprodução

Reportagem de: Ana Lívia Terribille

A Polícia Civil do 3° DP de Mogi das Cruzes conduziu uma nova operação para prender o último suspeito envolvido no assalto à residência do Padre Alessandro Campos, ocorrido em 28 de fevereiro.

Conforme informado pelo delegado de Polícia Titular da 3° Delegacia de Polícia (DP) de Mogi das Cruzes, Alexandre Batalha, a busca pelo indivíduo ocorreu no bairro Cangaíba, zona leste de São Paulo, durante o cumprimento do mandado, por volta das 6h. “O suspeito não foi encontrado na residência e continua foragido, porém sua prisão temporária foi decretada”, esclarece.

VEJA VÍDEO:

Equipe da polícia se reuniu na seccional às 04h45 desta quarta-feira (24) para se dirigir até São Paulo

Batalha salienta ainda que o suspeito em fuga foi um dos que invadiram a residência do Padre Alessandro em fevereiro, participando ativamente do crime ao render as vítimas.

Até o momento, cinco envolvidos no assalto foram presos pela polícia. A mais recente prisão ocorreu há 13 dias. O desfecho do caso está pendente até a localização do último foragido. Enquanto isso, as buscas para capturá-lo prosseguem.

LEIA TAMBÉM:

Entenda o caso

Em 28 de fevereiro, cinco indivíduos armados invadiram a residência do Padre Alessandro Campos, em Mogi das Cruzes. Eles mantiveram a mãe e o padrasto da vítima como reféns e subtraíram joias, relógios, roupas e cerca de R$ 16 mil.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, o padre relatou os detalhes da invasão dos criminosos. “Entraram pela porta da frente, que foi também a saída, com os rostos à mostra.” A mãe, o padrasto e dois funcionários que prestavam serviços na residência do padre foram feitos reféns. O religioso não estava presente no momento do crime.

“Eles passaram todo o tempo ameaçando minha mãe com uma serra, apontando uma arma. Ameaçaram minha mãe, meu padrasto, exigindo joias, dinheiro e informações sobre um cofre”, relatou o padre.

Por fim, os assaltantes encontraram uma gaveta no guarda-roupas contendo dinheiro e alguns pertences, e em seguida, fugiram do local.

Veja Também